sputnik_1_800

E podemos dizer que hoje é a comemoração de 57 anos do primeiro instrumento eletrônico e artificial feito pelo homem e colocado em órbita, esse equipamento é o Sputnik 1.

Sputnik que nada mais significa do que satélite em Russo, e foi criado por Russos, é amplamente identificado no mundo por sua forma esférica feita em metal e que mede 58 cm, seu peso é de 83 kg apenas para carregar simples equipamentos que nada mais são do que um transmissor de rádio e 4 antenas e que emitia o característico bip nas frequências super baixa de 20,005 e 40,002 Mhz.

Apesar dessa enorme simplicidade ele até que conseguiu fazer alguns experimentos antes nunca realizados no espaço, seja por causa de tecnologia ou por ainda não ter sido colocado nada feito pelo homem em órbita. Os Russos tiveram a oportunidade de aprender sobre a difusão de rádio frequência na Ionosfera, por isso talvez utilizarem uma banda de rádio com comprimento de onda tão grande. Além disso foi possível medir a densidade do “ar” através da deterioração de órbita do satélite e até calcular precisamente a órbita de um corpo ao redor da terra utilizando desses dados obtidos.

Interior em corte e legendado.
Interior em corte e legendado.

O seu interior pressurizado por nitrogênio tinha nele 3 baterias mais o rádio transmissor, duas dessas baterias eram responsáveis por alimentar o transmissor de rádio e uma para aquecer e resfriar o interior, no total era previsto para durar 22 dias, só esse sistema pesava 51 kg ao todo, restando ao transmissor e seus sistemas pesarem 3 quilos e meio.

Pode parecer meio complica assimilar um satélite totalmente simples com vários experimentos, o bip na frequência de 20Mhz tinha duração de 0,3 segundos, sendo possível assim analisar a reflexão de ondas na ionosfera através do tempo que o sinal demorava para chegar a base na terra, além disso a frequência de 40Mhz ajudava a calcular sua órbita através da distância em que o sinal levava para chegar a terra.

Internamente o Sputnik 1 tinha um sistema em que era pressurizado com nitrogênio e de acordo com que meteoritos iam furando sua fuselagem a pressão baixava, um instrumento interno era responsável por alterar o bip quando a pressão fosse menor que um valor pré-determinado.

Com as ondas de rádio foi possível calcular as órbitas do satélite, encontrando assim uma órbita baixa de 215 km e uma órbita alta de 939 km, com duração de aproximadamente 96 minutos a uma velocidade de 29 mil km/h. Seu tempo total de órbita foi de 3 meses até reentrar na atmosfera terrestre e queimar totalmente, nesse tempo que ficou ao redor da terra ele percorreu 70 milhões de quilômetros ao redor da terra.

COMPARTILHAR
Pedro Viana

Acadêmico de Engenharia Aerospacial – Editor de foto e vídeo – Fotógrafo – Aeroflap