A COMAC tem muito o que comemorar nesta semana, a seu novo avião, o C919, bateu o valor de 600 encomendas através de um pedido realizado pela Everbright Financial Leasing, para adquirir 30 aeronaves, anteriormente a empresa só tinha registrado 570 encomendas, sendo a maioria delas de clientes da China, país sede da fabricante.

Essa encomenda foi realizada logo após o primeiro voo do C919, que ocorreu no dia 5 de maio deste ano. Na ocasião a aeronave voou por aproximadamente 80 minutos, um valor bem abaixo dos tradicionais voos de estreia realizados pela Airbus e Boeing nas famílias 737 MAX  e A320neo.

A Comac segue o programa de testes para cumprir 4200 horas de voo, a fabricante chinesa fará cerca de 2 aeronaves por ano até 2019, todas para alimentar o programa de testes que deverá demorar mais 3 anos. A produção em série será iniciada somente em 2020, por enquanto a Comac busca incrementar a sua capacidade de produção para evitar erros e atrasos no futuro. O primeiro voo comercial da aeronave deverá ser em 2020 com a China Eastern Airlines.

Foto – COMAC/Reprodução

O COMAC C919 é bem semelhante com o A320 da Airbus, medindo 38,9m de comprimento, 35.8 metros de asa, altura de aproximadamente 12m e largura de cabine de 3,9 metros. No geral está disposto 3 versões para compra que alcança de 156 passageiros até 174 quando em configuração de 1 classe com alta densidade, o seu projeto tem participação de empresas americana e europeias para construir diversos sistemas da aeronave, outro passo para a ocidentalização do COMAC.

A aeronave tem uma autonomia de 4075 km. Uma versão de longo alcance pode voar até 5555 quilômetros. A fabricante espera produzir cerca de 2000 aviões e já recebeu mais de 570 encomendas provenientes de 23 clientes, a maioria companhias aéreas da China que ganharam incentivo para comprar o jato. O C919 concorre diretamente com o 737 MAX 7 e o Airbus A320neo em capacidade de passageiros.

A Comac espera vender 2000 aviões C919 nos próximos 20 anos, mas para atingir essa meta a Comac precisa conseguir mais clientes em mercados fora da China.

This post is available in: pt-brPortuguês