O Aeroporto Campo de Marte (SP) completa, nesta quarta-feira (26/7), 97 anos de operações. Suas atividades se iniciaram em 1920, ano em que foi construída uma pista para pousos e decolagens e um hangar no local onde a Força Pública do Estado de São Paulo mantinha sua escola de aviação.

Sob o comando da Infraero desde 1979, o terminal foi a primeira infraestrutura aeroportuária da capital paulista. Sua localização é privilegiada por estar na Zona Norte da cidade, próxima ao Terminal Rodoviário do Tietê, à estação Carandiru do metrô, e à Marginal do Tietê, que é via de acesso às rodovias estaduais e interestaduais.

Foto – Infraero

Embora o Aeroporto Campo de Marte não possua linhas aéreas regulares, ele é o 5º em movimento operacional no Brasil. De acordo com os dados da Infraero, no ano de 2016 foram realizados 71.527 pousos e decolagens, cerca de 200 operações diárias.

As 71.527 aeronaves que pousaram no terminal no ano passado transportaram 125.395 passageiros. A média mensal de pouso e decolagem de 2016 foi de 5.960 movimentos, sendo que 56,2% referem-se às operações com helicópteros. O aeroporto possui infraestrutura que permite pouso e decolagem noturnos em uma pista de 1.600 metros, e um heliponto.

 

Parque e Museu

Durante uma reunião com o Ministro da Defesa Raul Jungmann na última sexta-feira, o prefeito de São Paulo, João Doria, resolveu o impasse com o Aeroporto Campo de Marte, famoso por receber aeronaves da aviação geral na grande São Paulo. O aeroporto continuará sendo operado pela Infraero, porém a prefeitura criará um Parque Municipal no local onde existe uma área de mata atlântica, com cerca de 400 mil m².

O prefeito reiterou a criação de um museu aeroespacial no futuro aproveitando o acervo do Museu da TAM, que no momento está fechado em São Carlos. O parque será criado nas proximidades da cabeceira 12, atrás do Hospital de Força Aérea de São Paulo (HFASP).

COMPARTILHAR