O pouso de um bimotor da Força Aérea Brasileira (FAB) inaugurou a pista de 1,2 mil metros de comprimento do Aeroporto de Aracaju/Santa Maria (SE). Esse fato, que foi um marco na história de aviação sergipana, completa, no próximo dia 30 de outubro, 64 anos, registrando a criação do terminal.

Mais tarde, em janeiro de 1958, a chegada do presidente Juscelino Kubitschek, a bordo de um bimotor Convair (CV) 440 Metropolitan, da Real, oficializou o início das operações comerciais do Santa Maria. Localizado na zona sul da capital e distante 12 km do centro, é o único aeródromo público que recebe voos regulares no estado.

O aeroporto funciona 24 horas. Os passageiros contam com uma oferta de 28 estabelecimentos, entre alimentação e serviços. São oito restaurantes e ou lanchonetes distribuídas entre praça de alimentação, saguão, salas de embarque e na área externa do terminal de passageiros. Além dessas opções para refeições e lanches, o passageiro encontra serviços como uma revistaria; duas lojas de souvenires; uma de artesanato em renda e mais uma de confecção masculino/feminino; três caixas eletrônicos; uma agência dos Correios; cinco locadoras de carro, além de outras facilidades.

Os passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida contam com uma infraestrutura de acessibilidade integrada por seis rampas de acesso; dois bebedouros e cinco boxs sanitários adaptados; além de seis telefones públicos para usuários com deficiência locomotora e mais um telefone com teclados em braile, para deficientes visuais.

O Aeroporto de Aracaju conta com 15 voos diários autorizados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Além disso, o terminal de passageiros pode receber 2,6 milhões de embarques e desembarques por ano. Em 2015, a movimentação registrada foi de 1,2 milhão de passageiros (embarque e desembarque).

Atualmente, quatro companhias aéreas operam voos em Aracaju: Latam; Gol; Avianca e Azul, que ligam o terminal a sete destinos nacionais: Rio de Janeiro (RJ); Brasília (DF); São Paulo (SP); Campinas (SP); Recife (PE); Salvador (BA) e Maceió (AL).

 

Movimentação e História

Em junho, o aeroporto registra o maior pico de movimentação do ano, com a presença de turistas de várias partes do país que chegam para o Forró Caju. O evento é uma das mais tradicionais festas juninas do Nordeste. Neste ano, quando se realizou a 23º edição, entre os dias 18 e 29/6, o aeroporto registrou um volume de 39,9 mil passageiros, um aumento de três mil viajantes a mais em relação ao mesmo período do mês anterior – 18 a 29/5 – quando foram 36, 9 mil passageiros.

Nove anos após a criação do aeroporto, teve início, em 1961, a primeira ampliação da pista de pouso e decolagem, passando dos 1.200 para 1.500 metros de comprimento. O edifício do terminal de passageiros passou de 800 para 1,2 mil m². A partir de 1975, o Aeroporto de Aracaju ficou sob a responsabilidade da Infraero. Nas décadas seguintes, foram realizadas novas reformas.

Entre 1983 e 1984, o aeroporto ganhou uma nova fachada e teve o seu terminal de passageiros ampliado para 1,8 mil m². Em 1993, a pista do foi ampliada, passando a ter 2,2 mil metros de comprimento. Em 1998, a Infraero inaugurou um novo terminal de passageiros com 10 mil m², salas de embarque e desembarque climatizadas, elevadores, escadas rolantes, sistema de TV e vigilância e sistema informativos de voos.

Em dezembro de 2014, foram concluídas novas obras. Os serviços incluíram várias melhorias, como o aprimoramento dos sistemas de drenagem de águas pluviais e a recuperação de telhas metálicas e da estrutura da cobertura. O mesmo processo de reforma foi executado nas duas áreas referentes aos terminais de passageiros, que receberam ainda reparos nos sistemas de ar condicionado e nas instalações elétricas.

 

Via – Infraero

COMPARTILHAR