Entre 20% e 30% dos passageiros que passarão pelos aeroportos brasileiros com destino à capital dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o Rio de Janeiro (RJ), devem fazer conexão no Aeroporto de Guarulhos (SP), o maior do Brasil em movimentação internacional. Os dados foram apresentados por Thiago Meirelles, coordenador do Comitê Técnico de Operações Especiais (CTOE), na tarde desta quarta-feira (04) em visita técnica ao terminal paulista. Esta é a terceira agenda de uma série de roadshows de planejamento do setor aéreo para a Rio 2016.

O cronograma de visitas técnicas é organizado pelo CTOE, vinculado à Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero) e coordenado pela Secretaria de Aviação da Presidência da República. O projeto contempla os terminais das seis capitais do futebol do megaevento esportivo – Guarulhos (04/05), Confins (19/04), Manaus (31/03), além de Brasília (DF), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ), com datas a definir. A ação tem por objetivo reforçar o alinhamento das autoridades aeroportuárias envolvidas na operação especial da aviação brasileira para a Rio2016.

Ao todo, trinta e nove aeroportos participam do planejamento do setor aéreo para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que devem trazer ao Brasil delegações de 206 países e mais de 100 chefes de Estado. Em torno de 2.200 controladores de voo já receberam treinamento específico para administração do fluxo da aviação durante os Jogos e mais de 1 mil vagas extras serão criadas nos pátios dos terminais para estacionamento de aeronaves no período.

Segundo Thiago Meirelles, coordenador do CTOE, “considerando o volume de passageiros internacionais que embarcarão em rotas com conexão em Guarulhos, esse ajuste fino para alinhamento com as autoridades aeroportuárias locais torna-se fundamental”, afirma. São Paulo, que será palco de dez partidas de futebol durante os Jogos, “concentrará chegadas e partidas de delegações e torcidas internacionais, garantindo a Guarulhos o posto de megahub de voos no Brasil. A operação local está perfeitamente pronta para essa demanda”, garantiu.

 

Fonte – Secretaria de Aviação Civil

COMPARTILHAR