O Aeroporto de Teresina/Senador Petrônio Portella (PI) completa 49 anos de operação nesta sexta-feira (30/9). Situado ao norte da capital piauiense, entre os rios Poty e Parnaíba, o terminal movimenta diariamente uma média de 2,6 mil passageiros e conta com 29 voos regulares de quatro companhias aéreas: Azul, Gol, Latam e Piquiatuba, para voos regionais. As rotas interligam a cidade a diversos destinos brasileiros, como São Luís (MA), Fortaleza (CE), Guarulhos e Campinas (SP), Belém (PA), Brasília (DF), Recife (PE), Parnaíba (PI), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ).

Os passageiros que utilizam o aeroporto podem usufruir de 19 estabelecimentos dos mais variados seguimentos, como lojas de artesanato e produtos típicos da região, locadoras de veículos, lanchonetes, agências de turismo, banca de jornais e revistas e caixas eletrônicos. Os usuários também encontram um terminal acessível, com banheiros e telefones adaptados; cadeiras de rodas; ambulift e quatro stair tracs, equipamentos que auxiliam no embarque e desembarque de passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida.

Para o superintendente do aeroporto, Marco Aurélio Zenni, o terminal cumpre papel fundamental ao ligar a capital piauiense às principais cidades do país, além de contribuir para o desenvolvimento da região. “O Aeroporto de Teresina é o único das capitais nordestinas situado fora da área litorânea. Portanto, além de promover a integração regional e nacional, ele garante a promoção do turismo no estado por meio das rotas para as cidades de São Raimundo Nonato e Parnaíba, joias da natureza piauiense”, explica.

Inaugurado em 30 de setembro de 1967, o aeroporto foi administrado inicialmente pelo Ministério da Aeronáutica. Em fevereiro de 1975, passou a ser gerido pela Infraero, com exceção das atividades de navegação aérea. Sua denominação oficial, Aeroporto de Teresina, foi alterada no ano 2000, para Aeroporto de Teresina/Senador Petrônio Portella, de acordo com a lei nº 9.942, de 22 de dezembro de 1999. O nome é uma homenagem ao político piauiense Petrônio Portella Nunes, que foi prefeito da capital, deputado estadual, governador, senador, presidente do Congresso Nacional e ministro da Justiça no governo do presidente João Figueiredo.

Em 2015, aproximadamente 1,2 milhão de usuários passaram pelo terminal, que tem capacidade para receber mais de dois milhões de passageiros. Neste ano, até agosto, foram mais de 736 mil passageiros, entre operações de embarques e desembarques.

 

Via – Infraero

COMPARTILHAR