Sem novas encomendas para o Airbus A380 há meses, a fabricante europeia está buscando no mercado de maior crescimento na aviação um espaço para o gigante de dois andares. Sim, a Airbus quer vender grandes quantidades do A380 para a China.

Isso será possível através de um acordo que a Airbus fez recentemente com o Governo Chinês, para expandir a linha de montagem em Tianjin, gerando mais empregos locais ao mesmo tempo.



Outra característica ajuda a Airbus na venda de mais A380 para os chineses. A linha de montagem final é em parceria com a AVIC, uma empresa estatal, e todas as companhias chinesas tem uma participação estatal, que interfere no mercado de aviação.

“O mercado chinês será o maior do mundo e acredito que o maior mercado merece o maior avião”, disse o presidente da aeronave comercial da Airbus, Fabrice Bregier, em conferência de imprensa no dia 15 de janeiro.

Mas para isso a Airbus precisa convencer as companhias aéreas que o A380 é a melhor opção para rotas de alta demanda. Com mais de 500 assentos e lotado, o A380 tem um custo por assento ocupado imbatível, melhor que o Boeing 777.

“Precisamos convencer as companhias aéreas de que podemos aumentar sua participação no mercado e aumentar tremendamente sua imagem ao comprar o A380, e operá-los a partir de grandes aeroportos chineses”, disse Fabrice Bregier.

Em Tianjin a Airbus já produz o A320 e o A330 para companhias aéreas da Ásia, e recentemente anunciou que estaria aumentando a quantidade de aviões da família A320 produzidos por lá, de quatro aeronaves fabricadas por mês para oito, em 2019.

Com uma suposta parceria e descontos generosos, além de uma montagem final do Airbus A380 na China, a Airbus pode conquistar novos clientes no país asiático, e assim manter a linha de produção do A380 por pelo menos mais 10 anos. Anteriormente a Airbus anunciou que há demanda para até 100 aviões do modelo A380 na China.

Durante uma coletiva de imprensa no dia 15 de janeiro, a Airbus anunciou que estava planejando reduzir a produção do A380 para seis aeronaves por ano, a partir de 2020. Isso só vai ocorrer se nenhuma companhia encomendar o avião nos próximos meses, mesmo com 100 entregas restantes na carteira de pedidos.

A Emirates é atualmente a maior cliente do A380, com mais de 100 aeronaves do tipo em sua frota e mais 41 encomendas.

Na China a única companhia que opera com o Airbus A380 é a China Southern Airlines, mas somente com cinco aeronaves desse tipo, apesar da frota com 547 aviões.

 

Via – FlightGlobal