A Airbus enviou recentemente para a United Airlines informações técnicas do A321neo LR e o A330neo, com finalidade de conseguir uma possível encomenda da companhia aérea.

No documento a Airbus forneceu informações personalizadas de acordo com o solicitado pela United, incluindo o consumo com um número de assentos escolhido pela companhia para cada aeronave, e os custos de manutenção de acordo com a frota da empresa e os seus voos.

A finalidade da United é conseguir uma opção fácil para substituir os seus aviões do modelo Boeing 757 e 767. A companhia continua apostando no NMA, um novo projeto da Boeing, mas ressalta que esse jato só será entregue a partir de 2025, e que seria inviável manter algumas aeronaves em sua frota até essa data.

Além dos aviões da Airbus a United também está analisando o Boeing 737 MAX 10, o qual tem 100 encomendas, e o Boeing 787-8.

A personalização é um ponto-chave, visto que a Airbus pode diminuir em 5% o consumo da aeronave apenas alterando o MTOW e o empuxo máximo dos motores.

 

O A321neo LR

A companhia optou por analisar o A321neo LR (Long Range) com 178 assentos, sendo 16 na Business, 72 na Premium Economy e 90 na Economy. Neste caso o A321neo LR substituiria o Boeing 757-200, a companhia tem 56 aviões deste modelo, boa parte equipados com 169 assentos.

Dessa forma o A321neo LR poderá fornecer o mesmo alcance de voo, com mais assentos e uma economia maior de combustível. Além disso o avião da Airbus pode usar as mesmas posições nos aeroportos do Boeing 737 e do A320, aumentando a flexibilidade de uso da frota.

Esses aviões seriam usados pela companhia para substituir as aeronaves que fazem voos internacionais, enquanto optariam pelo 737 MAX 9/10 para fazer as rotas domésticas de costa a costa nos Estados Unidos, já que elas demandam menor autonomia.

 

O A330neo

Na configuração personalizada da United ela optou por analisar um A330-800 com 252 assentos, sendo 51 na Business, 56 na Premium Economy e 145 na Economy. Nessas condições o Peso Máximo de Decolagem da aeronave é de 242 toneladas.

Curiosamente a companhia quer usar o A330-800 para substituir o Boeing 767-300ER, juntamente com o NMA no futuro. Vale ressaltar que a aeronave americana tem peso vazio de 90 toneladas, enquanto o A330-800neo tem peso aproximado de 137 toneladas quando totalmente vazio e leva 38 passageiros a mais nessa configuração escolhida.

Logicamente o peso vazio da aeronave influencia no consumo de combustível, mesmo que essa aeronave seja 15% mais econômica que a geração anterior (A330ceo). A Boeing já ressaltou que o 787-8 oferece um custo 25% menor por assento, em comparação com o 767-300ER.

A aeronave da Boeing, da família Dreamliner, é mais leve que o A330neo em todas as variantes (-8 e -9). Essa foi a causa do desinteresse recente da United pela aeronave, que possivelmente só ganhará a encomenda da operadora americana se a Airbus conseguir vender o avião por um bom preço.

Vale ressaltar que a United já opera com o Boeing 787, e futuramente operará com as três variantes da aeronave.

Já o A330-900 foi simulado com uma configuração de 303 assentos, sendo 57 na Business Class, 32 na Premium Economy e 214 na Economy. 

O A330-900neo pode não fazer tanto sentido para a companhia, já que a mesma encomendou 45 aviões do modelo A350-900 para substituir futuramente os Boeing 777-200, juntamente com o 787-10.

Já o A330-800neo seria uma opção para substituir o 767-300ER juntamente com o NMA no futuro.

 

Via – FlightGlobal

This post is available in: pt-brPortuguês