A Airbus fez na semana passada a tradicional divulgação de resultados financeiros do semestre, neste caso reportando a condição financeira do grupo Airbus no primeiro semestre de 2017. E o resultado foi positivo para a Airbus apesar da queda nos lucros.

A fabricante europeia divulgou que teve 28,7 bilhões de euros em receita, contabilizando todas as áreas de atuação do Grupo Airbus, com esse resultado o crescimento foi de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro registrado pela Airbus foi de 954 milhões de euros somente com aeronaves comerciais, ou € 1,099 bilhão para todo o Airbus Group, ambos os resultados apresentam uma queda em relação ao mesmo período de 2016.

O lucro é calculado antes do pagamento de impostos e taxas, conhecido no mercado financeiro como EBIT Ajustado.

Podemos relacionar a maior receita da Airbus com o maior número de entregas da divisão de aviação comercial, em comparação com o ano passado. No total a Airbus entregou 306 aviões no primeiro semestre de 2017, contra 298 aeronaves no mesmo período do ano passado.

Foto – Airbus

“O ambiente das aeronaves comerciais permanece saudável, enquanto o backlog de pedidos continua a dar apoio aos nossos planos de crescimento da produção. Todavia, estamos enfrentando desafios em relação a problemas no fornecimento de motores, mas temos um mapa claro que tem mantido nossa orientação para todo o ano”, disse o diretor executivo da Airbus, Tom Enders, citando o problema de fornecimento da Pratt & Whitney dos motores Pure Power, que equipam o A320neo.

A família A320 é um ponto crítico para a Airbus, mesmo com o baixo valor, a alta quantidade produzida afeta diretamente as metas de produção da empresa para 2017. Foram 239 aeronaves da família A320 fabricadas no primeiro semestre de 2017, enquanto o A350XWB está com sua produção em ritmo crescente e registrou 30 entregas no período, o A330 ainda vende bem e marcou 31 entregas, seguido pelo A380 com somente seis entregas.

A Airbus ainda está com a meta de produzir 10 aviões da família A350XWB por mês até o fim de 2018, enquanto reforça o aumento na produção do A320neo para conseguir fechar a meta de 200 aeronaves de nova geração em 2017. A Pratt & Whitney relatou recentemente que já consegue atingir o máximo de produção do motor PW 1100G, após resolver os problemas com os fornecedores.

No primeiro semestre a Airbus entregou somente 16 aviões A320neo equipados com motores da Pratt & Whitney, enquanto realizou a entrega de 43 aeronaves A320neo equipadas com motores CFM Leap-1A. As demais aeronaves listadas são da família A320ceo, a geração antiga do A320.

 

Carteira de encomendas

A Airbus recebeu no total € 37,2 bilhões em encomendas no primeiro semestre de 2017, uma pequena queda em comparação com 2016. Esse montante foi gerado por 203 pedidos fixos de aeronaves ao longo de seis meses, a maior parte deles divulgados no Paris Air Show.

Com esse resultado a empresa tem uma carteira de encomendas com valor total de € 981 bilhões, capaz de sustentar a produção da Airbus por mais de 10 anos no mesmo ritmo atual. São 6771 aeronaves da Airbus encomendadas no momento.

A Airbus ainda relatou que as encomendas para a divisão de helicópteros obtiveram alta no semestre, enquanto a divisão de Defesa teve desaceleração por causa do setor espacial, mas mesmo assim a Airbus recebeu 19 encomendas para aeronaves de aplicação militar.

 

Veja mais em:

Airbus entregou 64 aviões em junho

COMPARTILHAR