A Airbus evitou nesta semana declarações de que está preocupada com a queda acentuada das encomendas do A330neo, de acordo com uma declaração de Eric Schulz, diretor de vendas de aviões na Airbus.

Recentemente a Airbus viu algumas companhias trocando encomendas do A330neo pelo Boeing 787, como a Hawaiian, e algumas outras, como a American Airlines, preferindo usar o Boeing 787 para substituir a sua frota de aviões A330ceo.

Essas situações demonstraram claramente uma menor preferência das companhias aéreas pelo A330neo, apesar das inovações oferecidas pela aeronave, que está chegando tarde ao mercado em comparação com o 787. Mas Schulz acredita que a demanda das companhias europeias por esse tipo de aeronave vai subir em breve.

“O mundo ainda está cheio de oportunidades em termos de fusões amplas. Nós perdemos algumas campanhas no Ocidente e há outras campanhas pelo mundo. Eu não estou pessoalmente em pânico com o A330neo”, disse Eric Schulz à Reuters.

No entanto a Airbus evita divulgar uma meta de vendas para o A330neo neste ano, apesar de prever uma possível alta do mercado de aviões widebody.

A fabricante europeia já acumula 16% das encomendas de aviões widebody em 2018, a Boeing fica com o resto.

A Airbus está pressionada no momento para reagir à liderança da Boeing no mercado de aviões widebody, a fabricante americana lidera os mercados do 777 e 787, com mais de 600 entregas para o último avião citado, enquanto o A330neo não foi certificado.

O sucesso da sua linha de aviões fez a Boeing colocar o 777X no mercado, mesmo com uma atraso em comparação com o A350, e também aumentar a produção mensal do 787 de doze para catorze aviões.

 

Via – Reuters

This post is available in: pt-brPortuguês