A Airbus está entrando na investigação de um incidente junto com autoridades da China e da França sobre um incidente que ocorreu neste domingo, envolvendo um A319 da Sichuan Airlines.

Nesse incidente a aeronave de matrícula B-6419, fabricada em 2011, teve o para-brisa da parte do copiloto subitamente arrancado, causando uma descompressão da aeronave que culminou em danos no cockpit e ferimentos no copiloto, que foi parcialmente sugado.

A Airbus evitou comentários, mas ressaltou que a aeronave já tinha 19942 horas de voo. Já a companhia aérea disse que a aeronave sofreu uma “falha mecânica”, que não resultou na morte de passageiros ou tripulantes.

De acordo com o piloto, a aeronave já estava em altitude de cruzeiro (32000 pés) quando repentinamente sofreu a falha, sem nenhum aviso. O comandante também relatou que o co-piloto foi segurado no seu assento devido ao cinto, caso contrário seria sugado junto com o ar pressurizado na aeronave.

A partir dessa descompressão súbita a temperatura e pressão do cockpit caíram rapidamente, o comandante deu preferência para colocar sua máscara de oxigênio e depois seguir com os procedimentos de descida por despressurização.

O pouso foi realizado quase totalmente pelo comandante, visto que o copiloto sofreu ferimentos no rosto e torceu o pulso do braço direito, usado para fazer os comandos no sidestick.

 

This post is available in: pt-brPortuguês