A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) aprovou a bateria de lítio-íon da Airbus e instalação no A350-900XWB, permitindo que os sistemas dependentes comecem a sua fabricação. A Airbus também irá oferecer um retrofit para os atuais operadores, enquanto o A350XWB só irá receber essa atualização no final do ano.

Apesar da certificação da EASA, a Airbus ainda está aguardando a liberação da FAA para a bateria de lítio-íon do A350-900XWB, acrescentou a Airbus em comunicado.

O Airbus A350-900XWB foi originalmente concebido para utilizar baterias recarregáveis de lítio-ion ​​para servir como uma fonte de energia em regime de backup, atuando no sistema de aviônicos e também para dar start n unidade de potência auxiliar (APU). Mas a Airbus foi forçada a pôr de lado esse plano devido os intensos problemas do 787-8 em 2013, no mesmo período que o A350XWB passava por seu programa de testes. Em janeiro de 2013, incêndios paralizaram dois 787-8 dentro de nove dias, ambos os casos por aquecimento excessivo da bateria de lítio-ion.A FAA determinou a paralisação de toda a frota de aeronaves 787, até a solução completa do problema.

Após um reprojeto da Boeing para as baterias, que aumentou o poder de refrigeração das células, a frota de 787 retornou sua operação normal. Outros incidentes ainda apareceram no 787, como o da Ethiopian que incendiou-se em Heathrow, e um outro problema de superaquecimento em janeiro de 2014, mas que não resultou em fumaça a bordo.

A estratégia da Airbus foi colocar uma bateria de Ni-Cd e certificar a aeronave com uma tecnologia conservadora, sem sofrer o mesmo atraso do Boeing 787. A adoção da bateria de lítio-ion seria programada para após a entrada da aeronave em serviço de voos regulares.

O 787-8 usa um sistema GS Yuasa que armazena 72Ah de energia em oito células de 3.7V, no total o 787 tem 2 baterias. O projeto da Airbus é diferente, ele utiliza 14 células de 3.6v para produzir 45Ah, em um sistema com 4 baterias. Na Airbus o conjunto bateria/controlador é fabricado pela Saft, enquanto a Boeing encomenda o pack da GS Yuasa e Securaplane para equipar suas aeronaves Dreamliner.

COMPARTILHAR