A Boeing anunciou no início desta noite que a American Airlines optou por encomendar mais 47 aeronaves da família 787 Dreamliner, expandindo os seus pedidos para esse modelo de aeronave.

O contrato assinado pela American Airlines poderá ter valor total de US$ 12 bilhões, quando considerado o preço de lista da aeronave, e ainda oferece mais 28 opções de compra. Dessa forma o pedido pode chegar a 75 aviões da família 787, fora a encomenda anterior, para 42 aviões.



A American Airlines optou por cancelar a encomenda para 22 aviões A350-900, fabricados pela Airbus, em uma encomenda a qual as entregas foram adiadas várias vezes.

Como vantagem, a Boeing agora disponibiliza três versões do 787, que podem transportar de 250 a 330 passageiros na configuração padrão oferecida pela fabricante. A American Airlines já opera as versões 787-8 e 787-9.

Apesar disso a American Airlines optou por 22 aviões da versão 787-8 e 25 da versão 787-9. A companhia ainda tem mais 7 aviões do modelo 787-9 para receber. Todos os aviões usam motores GE GEnx.

A American Airlines disse que usará o 787-8 para substituir o 767-300, e o 787-9 para substituir o A330-300 e também os 777-200.

Foto – Boeing Media

Anteriormente a companhia aérea americana desistiu de encomendar o A330-900neo, mais barato, porém menos eficiente que o Boeing 787. De acordo com a Boeing, o A330neo consome 10% a mais e comparação com o 787, já a geração anterior consome por volta de 20% a mais.

Com isso a Boeing completou mais de 1350 encomendas para o 787 Dreamliner, ressaltando o sucesso da aeronave que já tem mais de 600 aviões em operação.

Atualmente a frota da American Airlines é constituída por nove aviões A330-300, 15 A330-200, 23 Boeing 767-300ER, 47 Boeing 777-200, 20 777-300ER, 20 do modelo 787-8 e 14 do 787-9. Os A330-300 estão programados para se aposentar a partir de 2019.