image
Foto - Boeing Media

Com o único objetivo de modernizar ainda mais a sua extensa frota de mais de 900 aeronaves, a American Airlines planeja acelerar a aposentadoria de todos os seus Airbus A330-300s, de todos os Embraer E190s e retirar de cena, também, certas aeronaves modelo Boeing 767-300ER, tudo isto já a partir de 2018. Isto é o que afirma o vice-presidente de Serviço de Voos Hector Adler. Atualmente, a American opera 9 A330-300s, 40 767-300ER (fora da frota de widebody de 146 unidades) e 20 E190 (fora da frota principal narrowbody de 796 aeronaves).
B767s

A aposentadoria dos 15 mais velhos 767-300ER já estava planejada para acontecer até o fim de 2017, e agora a American coloca nesta lista mais oito unidades do modelo, que sairão de cena até 2018. Com isso, apenas as 17 unidades mais novas do 767-300ER continuarão operando, após a saída das 23 unidades nos próximos dois anos. E você pensa que a American vai sentir falta deste gap?! Que nada! As entregas dos novos B787-8 e B787-9 têm a missão de reorganizar a frota de aeronaves widebody, sem falar, também, na chegada dos 22 A350 já a partir do próximo ano para complementar a frota.
A330s

É bom lembrar que os nove A330-300s restantes na frota do Grupo American Airlines são resultado da fusão entre American e US Airways. Todas as aeronaves do modelo francês foram entregues entre os anos de 2000 e 2011, o que dá a esta frota uma idade avançada e superior aos 17 anos quando for aposentada. Atualmente, existe um senso de que o A330-300 é uma aeronave competitiva em rotas transatlânticas, mesmo quando comparada com o moderno B787 Dreamliner. É bom lembrar que o A330 vem recebendo melhorias significantes ao longo da última década, incluindo upgrades no sistema de MTOW (Maximum Take-Off Weight), o que fez o modelo ganhar capacidade, reduções na queima do combustível, e aumento no alcance.

No entanto, os A330-300 da American estão velhos, com menor capacidade e um alto custo operacional quando comparado a frota de B777-200ER, flexível o suficiente para operar Europa, Ásia, América do Sul a partir de todos os hubs da American Airlines nos EUA. Mesmo se aproximarmos o custo operacional, considerando-os bem similares, a opção da American Airlines por aposentar a frota de A330 é por conta da sua idade, já que os B777s são bem mais jovens do que as aeronaves francesas.
B787s

Além disso, a American tem 22 Boeing 787-9 Dreamliners encomendados, aeronaves bem mais eficientes do que o A330, enquanto oferece quase duas vezes mais operação funcional. É certo que muitos destes 787-9 que estão por chegar, serão responsáveis por substituir imediatamente os 767-300ER que também estão saindo da frota, mas algumas unidades do modelo têm a capacidade de cobrir certas rotas operadas atualmente pela frota de A330. Isto sem falar, é claro, na nova frota de A350-900 que começa a chegar no ano que vem. Ao todo, serão 22 unidades.

E190s

Já em relação a frota brasileira de 20 aeronaves Embraer E190, a American considera que não há mais espaço para o modelo operar, já que possui uma frota consistente de A319 e de Embraer 195. Muitos destes Embraer 190s também são provenientes da US Airways, e um dia foram importantes para operações consideradas menores entre Boston, Nova York (La Guardia) e Washington. Mas agora, todas as aeronaves podem ser muito bem substituídas por estas duas famílias mais modernas, já citadas acima.

COMPARTILHAR