A United Airlines mudou sua política para o transporte de funcionários da empresa, sejam eles membros da tripulação ou não. A partir de agora os membros da tripulação não poderão forçar clientes pagantes a se retirarem das aeronaves, por qualquer motivo que seja.

A companhia aérea também implementou um método que restringe a ocupação de assentos para o transporte de tripulantes, agora o tripulante terá que reservar o assento para seu transporte em até 60 minutos antes da partida. Anteriormente o tripulante poderia comparecer no portão de embarque e solicitar o embarque antes da partida da aeronave. Com esse método será quase impossível que membros da tripulação forcem passageiros pagantes a desistir de seus assentos.

A United também planeja revisar as políticas da empresa sobre a remuneração, caso ocorra overbooking. Todas as medidas são uma revisão da política de overbooking da United, após o caso com o passageiro David Dao repercutir o mundo e levar a United a perder quase 1 bilhão de dólares na Bolsa de Valores.

Em nota para os membros do programa Mileage Plus, o CEO da United Airlines disse: “Sabemos que não estamos à altura, e por isso vamos redobrar os nossos esforços para ganhar a sua confiança”, disse o CEO Oscar Munoz.

“Em primeiro lugar, a United não solicitará aos policiais que retirem passageiros de nossos voos, a menos que seja uma questão de segurança. Em segundo lugar, as tripulações que viajam em nossas aeronaves devem reservar um lugar pelo menos 60 minutos antes da partida”, disse a companhia na carta direcionada aos passageiros.

 

“Em terceiro lugar, vamos rever e melhorar nossos programas de treinamento para garantir que nossos funcionários estarão preparados e capacitados para colocar nossos clientes em primeiro lugar. Os nossos valores vão orientar tudo o que fazemos”, concluiu a companhia.

 

Via – Travel Mole

 

This post is available in: pt-brPortuguês