Boeing 757-23A (T-01)
Boeing 757-23A (T-01)

A decisão foi tomada porque o Tango 01 está em manutenção que custara cerca de US$ 20 milhões. A partir de agora o presidente da Argentina, vai viajar em voo regular e aviões particulares serão alugados.

O governo do presidente Mauricio Macri anunciou nesta semana que parou de usar a chamada frota aérea presidencial Tango, os custos de reparação e manutenção são muito elevados. Portanto em viagens oficiais ao exterior será realizada em voos comerciais ou em aeronaves privadas.

Ontem Macri viajou em um voo regular da Air France com sua comitiva para o Fórum Econômico Mundial, em Davos na Suíça.

Foi na administração de Carlos Menem que a frota começou em 1992 com a compra do Tango 01. Desde então, todos os presidentes que sucederam Menem até Cristina Kirchner utilizaram a aeronave para visitas oficiais ao estrangeiro.

O Tango 01 é uma aeronave Boeing 757-200, com alto consumo de combustível e autonomia de vôo limitada porque não pode fazer longas viagens sem escalas múltiplas.

Fokker F-28-4000 Fellowship (T-02)
Fokker F-28-4000 Fellowship (T-02)

Além disso, a frota presidencial é composta pelo Tango 02 e 03 “Fokker-28 que estava para ser substituído ano passado pelo Embraer Lineage 1000, se seria financiado via BNDES não temos essa informação, e o Tango 04 “Boeing 737/500”. A frota é composta ainda por três helicópteros um Sikorsky S-70A Black Hawk H-01  e dois Sikorsky S-76B  H-02 e H-03 um dos quais está fora de serviço, e um Learjet 60 que é o Tango 10, aeronave executiva que pertence à Força Aérea Argentina, com capacidade para 10 passageiros. Este último é o único que permanecerá ativo.

Sikorsky S-70A-30 (H-01)
Sikorsky S-70A-30 (H-01)

O Tango 01 tem uma história de problemas, durante o governo de Nestor Kirchner e Cristina Kirchner, um incêndio ocorrido em uma de seus motores e diferentes problemas com o trem de pouso. Atualmente ele deve ser submetida a manutenção que custara cerca de 20 milhões de dólares.

Mas o Tango 01 não era o único com problemas, uma vez que em 2012 o Tango 02 e 03 estavam nos hangares de reparação, os primeiros 359 dias e o segundo 259.

Durante os 12 anos de Kirchner, os maiores usuários da frota eram membros da família presidencial, especialmente o Tango 10. Assim eles usavam para se deslocar entre Buenos Aires e Santa Cruz, onde costumava passar as suas férias em dias de folga. “Qualquer semelhança é mera coincidência.”

Learjet 60 (T-10)
Learjet 60 (T-10)

 

De acordo com declarações da Casa Rosada, o governo argentino decidiu não investir na reparação de aeronaves e vai retirá-los.

COMPARTILHAR