Hoje, a área de ensaio Mars Jarda no Airbus Defence and Space em Stevenage é o local para um teste muito especial. A Agência Espacial Europeia (ESA) juntamente com o astronauta Tim Peake impulsionará o protótipo rover, nomeado de “Bridget”, a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) em um campo de testes.

Esta experiência é parte do programa ESA METERON (Multi-Purpose End-To-End Robotic Network Operation), que está validando as operações telerobóticas em tempo real e do espaço para a terra. O objetivo é entender e desenvolver as tecnologias necessárias para futuras missões de exploração espacial, e olhar como os seres humanos e os robôs podem trabalhar juntos. Para testar vários cenários e validar as tecnologias relacionadas, diversos robôs e sondas na terra terá de ser controlados a partir da ISS, com resposta em tempo real e imagens de vídeo ao vivo.

Esta versão do experimento está investigando se um astronauta pode dirigir um jipe ​​em um ambiente de caverna escura. Em condições de luz normal, os robôs atualmente em desenvolvimento tem navegação autônoma; eles podem traçar uma rota e dirigir-se de forma segura através da superfície marciana. Em condições de pouca luz, o software rover não pode dizer a diferença entre uma sombra e uma rocha, além de haver a limitação de energia, devido a falta de luz solar.

Um ser humano que controlar o robô usando imagens das câmeras, é facilmente capaz de distinguir entre pedras e sombras, o que demonstra que tanto a navegação autônoma e humano são ambos importantes para as futuras missões ao espaço.

O pátio que simula Marte tem 30m por 13m e será dividido em dois usando uma partição para simular a entrada de uma caverna, e no final da caverna terá condições de baixíssima luminosidade. Um protótipo rover irá navegar autonomamente através da porção bem iluminada do pátio antes de parar quando atinge a área da caverna, e, em seguida, Tim Peake, então, retomará o controle de um segundo protótipo.

Quando Tim Peake dirige Bridget haverá um atraso de sinal nos seus comandos, resultado da distância que se localiza a ISS até a área de testes em Marte. Espera-se também que haverá interrupções na transmissão, como é frequentemente o caso do ISS, uma vez que ela orbita a Terra. Estas condições são as mesmas que um astronauta em órbita ao redor da Lua ou Marte teria ao operar remotamente um rover. O objetivo dado a Tim Peake, é entrar na caverna, encontrar até 3 alvos marcados com tinta UV e sair da caverna em 90 minutos. Para cada alvo o rover deve aproximar-se em um raio de 2 metros, apontar a câmera de análise do rover, marcar no mapa, e notificar o controle de terra.

COMPARTILHAR