A Austral é uma companhia da Aerolíneas Argentinas criadas para operar aeronaves regionais, além de voos com menor demanda. A companhia opera com aviões da Embraer, todos no modelo E190, mas a vida da Austral com as aeronaves brasileiras pode estar com os dias contados.

A companhia pode se desfazer em breve de algumas das suas aeronaves da Embraer, de acordo com uma publicação do La Nación e do portal Panrotas, são ao todo 24 aviões que estão operando, todos operando com 96 assentos. A Austral pode não ter pressa para vender essas aeronaves, visto que o preço normal do mercado será cobrado por elas.

Além da dependência do preço de venda, a Austral ainda está contando com uma encomenda de aeronaves maiores, que nem começou a ser negociada.

O motivo para a companhia se desfazer dos E-Jets é a configuração interna do jato, na época a Aerolíneas Argentinas queria operar voos regionais e para destinos de baixa demanda, logo a operadora configurou o E190 com duas classes e 96 assentos, porém o cenário interno mudou, e agora a Aerolíneas precisa reforçar sua presença em destinos com maior demanda, já que a companhia sofre a concorrência da Lan Argentina e Flybondi (a partir de outubro).

O La Nación também cita que a demanda para voos aumentou, já que a economia da Argentina vive bons momentos e, portanto, houve um aumento no número de passageiros transportados. A companhia tem a opção de fazer uma reconfiguração da aeronave, operando com 108 assentos em classe econômica, mas essa possibilidade não foi cogitada.

Os menores motivos são o alto custo de financiamento das aeronaves, procedimento feito através do governo brasileiro, e também a fragmentação de frota da Aerolíneas Argentinas, que tem três marcas de aeronaves operando voos.

 

 

Via – Panrotas e La Nación

COMPARTILHAR