A Avianca Internacional deverá votar no próximo mês através de uma reunião com o conselho de acionistas, para definir a parceria proposta entre a United Airlines e a companhia latina, assim como afirmou o German Efromovich para o portal FligthGlobal nesta segunda, durante uma reunião da IATA em Cancún, no México.

“Está acontecendo rapidamente”, disse German Efromovich. “Será muito breve, pode ser tão cedo quanto no próximo mês”. Apesar disso Efromovich ainda não confirma se a United terá uma participação financeira significativa na Avianca Internacional.

A parceria com a United está tão crítica que o Efromovich disse ser possível a Synergy Aerospace comprar as ações da Avianca pertencentes à Kingsland, se esta optar por desaprovar o acordo proposto com a United. O acordo que rege os direitos da Synergy e Kingsland sobre a Avianca, dá à Synergy o direito de compra, mas não no caso da Kingsland.

A Synergy Aerospace é um braço que administra a Avianca Brasil, registrada como Oceanair, e anteriormente Efromovich já tinha afirmado que estava empenhado em realizar a junção da Avianca Colômbia (Internacional) com a Avianca Brasil, para unificar e simplificar as parcerias e administração das duas companhias. As duas participam da Star Alliance.

Esse contrato desfavorável da Kingsland levou até a uma ação judicial recentemente contra a Avianca Colômbia, alegando que Efromovich estaria usando disso para forçar uma compra de ações da United, mesmo contra vontade da Kingsland Holdings.

“Estamos preparados para comprá-la”, disse Efromovich, referindo-se à Kingsland, de Roberto Kriete, este último foi diretor executivo da Taca, que se fundiu com a Avianca de Efromovich em 2010.

As fontes da Kingsland disseram que a Synergy escolheu a United, ao invés da Copa e Delta Airlines, porque as propostas das outras duas companhias pediram que a Synergy desista do controle acionário da Avianca. Efromovich reitera que a United apresentou a “melhor oferta” para a Avianca: “Não estou preparado para vender a empresa. Ninguém pode me obrigar a fazer isso”.

 

Histórico

No dia 16 de janeiro a Avianca Holdings convocou uma assembleia extraordinária com seus acionistas, a Superintendência Financeira realizou o anúncio logo após uma modificação nas práticas administrativas com os acionistas por parte da Avianca. Naquela época a expectativa era da entrada de um novo investidor no grupo, já que houve facilitação nas práticas administrativas.

Atualmente a United tem participação de 5% na Azul Linhas Aéreas, com 100 milhões em investimento. Na Avianca o investimento de 200 milhões pode representar um percentual maior de participação, visto o tamanho atual da companhia e seus destinos atendidos no Brasil.

Em 2016 a Avianca Brasil fechou em quarto lugar no número de passageiros transportados, com 12% do mercado de aviação interno ou 9,2 milhões de passageiros. A companhia também teve receita de R$ 641,2 milhões e prejuízo líquido de R$ 117,18 milhões. Enquanto isso a Avianca Holdings teve lucro de US$ 102,1 milhões.

No Brasil a LATAM, GOL e Azul tem investidores estrangeiros. A LATAM se fundiu com a chilena LAN e se tornou o maior conglomerado de companhias aéreas da América do Sul, a LATAM também tem 10% de participação da Qatar Airways.

A GOL tem participações da Delta Airlines (em maior quantidade) e da Air France/KLM. A Azul tem participações do grupo chinês HNA e da United, como já citado acima.

 

Fonte – FlightGlobal

 

Veja mais em:

United Airlines busca cooperação financeira e comercial com a Avianca

This post is available in: pt-brPortuguês