Fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil tinha informado que um avião Canadair de combate aos incêndios tinha caído hoje à tarde

Proteção Civil garante que não caiu nenhuma aeronave que estivesse a combater os incêndios no distrito de Leiria. O comandante Vaz Pinto disse esta tarde que estão a operar 13 aeronaves a operar e que, neste momento, pode confirmar que nenhuma delas caiu.

«Não tenho conhecimento de nenhuma aeronave ao serviço da proteção civil que tenha caído» disse Vítor Vaz Pinto no ‘briefing’ aos jornalistas em Avelar, Ansião.

Aludindo à possibilidade de ter ocorrido outro evento que induzisse em erro, falou na hipótese da explosão de uma ‘roullote’ e admitiu o envio de equipas de buscas para o local.

“Havia uma ‘roullote’ abandonada com botijas de gás, e eventualmente isso pode ter explodido», disse.

Uma fonte da Autoridade Nacional de Proteção Civil tinha informado que um avião Canadair de combate aos incêndios, que operava no fogo de Pedrógão Grande, tinha caído hoje à tarde.

Também o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse à comunicação social que confirmava que “todos os meios aéreos da Autoridade Nacional da Proteção Civil” estavam a operar, frisando que não tinha sido registado qualquer acidente.

Atualmente operam onze aviões de combate a incêndios, incluindo modelos Canadair, enviados desde domingo pela Espanha (seis), França (três) e Itália (dois).

Um contingente de mais de mil bombeiros continuava tentando controlar, nessa segunda-feira à noite, o gigantesco incêndio florestal na região central de Portugal, que custou a vida de pelo menos 64 pessoas e deixou ao menos 157 feridos.

Após um fim de semana com temperaturas de 40º C em várias regiões do país, o clima ficou um pouco mais ameno, mas o incêndio, declarado no sábado à tarde em Pedrógão Grande, prosseguia na direção das regiões vizinhas de Castelo Branco e Coimbra.

Segundo a Defesa Civil, 70% do incêndio estava controlado, mas repórteres da AFP comprovaram que na noite de segunda-feira as chamas ainda arrasavam as colinas de Pedrógão Grande, onde o incêndio começou no sábado.

Os recursos mobilizados continuavam sendo praticamente os mesmos, com mais de 1.150 bombeiros e de 700 veículos, além de 11 aviões. “O risco de incêndio é máximo no centro”, alertou a Defesa Civil.

This post is available in: pt-brPortuguês