A Azul Linhas Aéreas Brasileiras recebeu a certificação para o transporte de artigos considerados perigosos. A habilitação, emitida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), permite à companhia ampliar a atuação principalmente no setor de cargas. A novidade deve abrir ainda mais portas para novos negócios, como o acordo firmado recentemente entre a Azul Cargo e a Samsung.

Alguns dos artigos considerados perigosos são gases não inflamáveis, não tóxicos, infecciosos e miscelâneas. A primeira fase da certificação inclui dez destinos operados pela Azul: São Paulo (Campinas e Guarulhos), Recife, Manaus, Porto Alegre, Belo Horizonte (Confins), Natal, Fortaleza, Belém e Curitiba.

“A certificação para artigos perigosos é muito importante para a Azul e sua unidade de cargas. Isso ampliará ainda mais os ramos de atuação da Azul Cargo, o que permitirá a concretização de novos negócios e atendimento a diversos outros setores que, de costume, necessitam de serviços de transporte de cargas. Apostamos em um crescimento ainda mais expressivo da Azul Cargo, que já registra bons números, dada a importância desta certificação para o setor de cargas da companhia”, comenta Sami Foguel, vice-presidente de Clientes da Azul.

“Esta certificação sem dúvida é muito importante para que a companhia possa ampliar horizontes. A conquista é resultado do trabalho impecável de diversos setores da companhia, que, após este momento de conquista, terão um nível de responsabilidade ainda maior com o cumprimento de procedimentos para o transporte destes artigos. Tudo para garantir o sucesso dos contratos, sempre de olho na segurança de nossas operações”, destaca Flavio Costa, vice-presidente Técnico-Operacional da Azul.

Agora, a companhia trabalhará para expandir a permissão para outras unidades, o que ampliará ainda mais os negócios da Azul e da Azul Cargo.

COMPARTILHAR