A Boeing anunciou que seu novo 777X irá contar com sensibilidade ao toque em suas telas do cockpit, assim como um iPad. Dessa forma o piloto será capaz de interagir com todas as informações oferecidas pelo sistema da aeronave, além de assimilar a experiência do piloto com seus dispositivos móveis, como tablets e smartphones, e o ambiente profissional.

Esse dispositivo também deve substituir o cursor control device, localizado próximo a tela do computador de voo, que é responsável por inserir todos os dados do voo. A decisão da equipe de desenvolvimento do 777X foi tomada tão recentemente que a Boeing ainda não escolheu o fornecedor, disse Bob Feldmann, vice-presidente e gerente geral do programa 777X.

A nova tecnologia será integrada para o formato de cinco visores já utilizada hoje no 787, apesar da expectativa de que a Boeing utilize 6 visores para a nova geração do 777X. No passado, a Boeing propôs um ecrã sensível ao toque como um upgrade para o F/A-18E da Marinha os EUA e o F-18 Super Hornet, mas não anunciou para aviões comerciais.

A Boeing testou a tecnologia touchscreen em simuladores nos últimos cinco anos e, em 2014, usou o ecoDemonstrator para dar aos pilotos a experiência de voo em tempo real com tecnologia de toque nas telas. “Nós achamos que a tecnologia touchscreen executou bem sua função ou até melhor do que os dispositivos atuais no convés de vôo, no contexto de interação”, disse Brian Gilbert, Lider de integração do Flight Deck na Boeing.

Em condições de turbulência, o piloto será capaz de estabilizar a sua mão em uma bordas chanfradas dos monitores, disse Feldmann.

Para prevenir erros durante sua operação com turbulência ou situação adversa, a Boeing incorporou também um controles de cursor rotativo, o famoso mouse bolinha que equipou alguns notebooks no passado. O objetivo da fabricante é agilizar diversos procedimentos de voo do 777X através da melhor interação piloto – máquina.

Muitas companhias aéreas atualmente já disponibilizam o uso de tablets para os pilotos no intuito de aumentar a dinâmica de bordo, além de economizar peso por não transportar diversas cartas aéreas em forma de papel, mas sim na tela do tablet. A ação da Boeing é aprovada por diversos clientes, que não precisariam comprar diversos tablets para equipar a sua tripulação.

O próximo passo para o programa de desenvolvimento do 777-9X é uma revisão crítica de design, agendado anteriormente para o próximo ano. A Produção da primeira aeronave de teste está prevista para começar em junho DE 2017, com primeiro voo já em 2018.

Além dessa inovação apresentada recentemente pela Boeing, o 777X ganhou outras diversas alterações, desde alterações no motor, que agora é um GE9X, até no seu espaço interno, que ganhou maior largura devido a uma reconfiguração dos painéis internos, que serão totalmente novos seguindo a linha Sky Interior de design. Sua introdução comercial está prevista para 2020, quando será realizada a primeira entrega para uma companhia aérea.

 

Fonte – FlightGlobal

COMPARTILHAR