A Boeing reuniu seus funcionários e líderes hoje (20/05) para celebrar a inauguração do seu novo centro de fabricação composta do 777X (CWC), em Everett , Washington. O novo local será responsável também por realizar a fabricação da asa do 777X, que é feita toda em material composto. A Boeing investiu mais de 1 bilhão de dólares no local para a construção do novo edifício.

A construção do novo edifício nomeado como “CWC” precisou de cerca de 4,2 milhões de horas de trabalho. No seu auge, cerca de 1700 funcionários contratados trabalharam no projeto. O novo edifício necessitou de:

  • 31000 toneladas de aço para todas as vigas, cerca de 300kg a cada pé quadrado;
  • 772 quilômetros em cabos de eletricidade;
  • 24500 metros de tubulação;
  • 150000 metros cúbicos de concreto. Que foi entregue por  mais de 16500 caminhões;
  • O tamanho do novo edifício equivale a 24 campos de futebol;
  • O edifício irá conter três das maiores autoclaves do mundo, que serão utilizadas para unir as superfícies em material composto, cada uma é grande o suficiente para caber duas fuselagens de um Boeing 737 dentro;
Foto - Divulgação/Boeing
Foto – Divulgação/Boeing

O Boeing 777X conta com duas opções de aeronaves, a 777-8X é capaz de receber 350 assentos em configuração padrão de três classes, seu alcance é de até 15000km. Já o 777-9X, a maior variante da família T7 até hoje, será capaz de receber 450 passageiros em uma configuração de três classes, com autonomia para 13200km de voo.

O 777-8X concorre diretamente com o Airbus A350-1000, enquanto o 777-9X está sozinho em sua classe de aeronave, e irá atingir uma necessidade por maior economia mas sem perder a capacidade de transporte. Até à data, o 777X acumulou 320 pedidos fixos e compromissos de seis clientes no mundo inteiro. A produção do 777X está programada para começar em 2017, com a primeira entrega em 2020.

COMPARTILHAR