A Boeing e Comac começaram hoje a construção de um novo centro de montagem final e entrega do 737 na China. A nova planta tem 40 hectares de espaço e será inaugurada em 2018, na cidade de Zhoushan, que fica perto de um arquipélago ao sul de Xangai. A fuselagem e asas da aeronave ainda serão montadas nos Estados Unidos, bem como a junção das peças ainda será realizada em Renton.

A Comac trabalhará em parceria com a Boeing para a realização da montagem final do 737 na China, nesta planta serão instalados também os assentos e sistemas de entretenimento de voo, além de realizar a pintura da aeronave. A Boeing descreve esse passo como “um marco significativo que fortalece ainda mais o relacionamento mutuamente benéfico entre a Boeing e a indústria de aviação da China, apoiando o crescimento econômico nos EUA e na China”.

Foto – Boeing/Reprodução

Fornecedores da China já são responsáveis pela entrega de estabilizadores horizontais, portas, acabamento das asas e cabos para equipar o 737 NG. Para o 737 MAX a China está fornecendo o leme da aeronave. Os planos da Boeing para instalar uma unidade na China foram anunciados em 2015, seguidos por um anúncio posterior em outubro de 2016 sobre a construção no parque industrial de Zhujiajian, dedicado para empresas de aviação.

Todo o local custará 108 milhões de dólares para a Boeing e a Comac, em compensação a fabricante americana estima que o país precisará de quase 7000 novos aviões na categoria do 737 até o final de 2036. 

 

Via – FlightGlobal

This post is available in: pt-brPortuguês