A Boeing iniciou a montagem final do 737 MAX 7, a terceira e menor variante na família 737 MAX.

A montagem final do 737 MAX 7 deverá ser concluída dentro de algumas semanas. A fuselagem foi feita pela Spirit AeroSystems, e levada até Renton via trem de carga, as asas foram fabricadas pela própria Boeing em Renton.

Com a fuselagem toda completa entregue, a Boeing precisará fixar as asas e motores no jato, além dos acabamentos externos e os sistemas da aeronave no interior.

Essa fuselagem já está de acordo com o novo projeto proposto pela Southwest para a Boeing, em alongar o 737 MAX 7 para transportar até 172 passageiros, em um layout de somente uma classe, dessa forma a Boeing também distancia sua menor aeronave fabricada dos jatos regionais E195-E2 e CS300.

O Boeing 737 MAX 7 também se destaca pelo seu alcance, de até 7080 km, o maior da família 737 MAX. Em boa parte isso deriva do menor peso da aeronave, que precisa de um motor CFM Leap-1B com menor potência, como o tanque de combustível é o mesmo do 737 MAX 8, o resultado é um alcance expandido em aproximadamente 500 km.

A companhia responsável por operar com a primeira unidade do 737 MAX 7 será a Southwest, que recentemente recebeu o primeiro 737 MAX 8 da sua frota. A primeira entrega será realizada até janeiro de 2019.

A variante 737 MAX 9 já está em testes pela Boeing, e será certificada em breve, já a versão 737 MAX 8 está sendo fabricado para as companhias aéreas, depois de obter a certificação no primeiro semestre deste ano.

 

Fuselagem alongada

Em 2016 a fabricante americana anunciou mudanças no projeto do MAX 7, devido ao pedido de diversos clientes para a Boeing realizar alterações na capacidade e tornar a aeronave ainda mais rentável.

“Nós avaliamos o mercado. Os clientes disseram que um avião maior é algo que gostariam neste momento”, disse Keith Leverkühn, vice-presidente e gerente geral para a linha 737. O Boeing 737 MAX 7 irá ganhar mais 12 assentos em sua capacidade total.

O redesenho também será para a versão BBJ, que irá atender o mercado VIP, e contará com uma grande alcance de 13900 km, semelhante ao do Gulfstream G650ER. A Boeing lançou o 737 BBJ MAX 7 durante a Farnborough Airshow 2016.

Originalmente o Boeing 737 MAX 7 e 737 MAX 8 compartilham a mesma envergadura, mas o último tem uma asa com maior volume interno, que pode transportar mais combustível. Porém a Boeing alterou o projeto do MAX7 para ter maior capacidade de combustível, que irá compensar o maior peso da fuselagem alongada, disse Leverkühn.

737
Fonte – FlightGlobal

A fuselagem em si será alongada 1,17 m na parte frotal, e 76cm após a asa, na parte traseira da fuselagem, afirmou Leverkühn. O peso máximo de decolagem subirá de 70300 kg para cerca de 80.300 kg, e para isso a Boeing irá utilizar o trem de pouso do 737 MAX 8. O 737 MAX 7 também irá receber mais duas janelas de emergência, assim como no MAX 8.

Em alguns aspectos, o 737 MAX 7 revisado restaura um equilíbrio perdido com a chegada da série 737 NG, em 1998. Naquela época, a Boeing alongou o 737-800 para acrescentar duas fileiras de assentos em comparação com o 737-400, mas a capacidade do 737-700 ficou idêntica a do 737-300, disse Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing.

O novo 737 MAX 7 segue o exemplo de mercado. Enquanto o 737-300 pode acomodar até 149 em uma configuração densa, de corredor único, o 737 MAX 7  poderá transportar perto de 170 passageiros utilizando o mesmo padrão, disse Leverkühn. Enquanto isso o MAX 8 terá a versão para até 200 passageiros, chamada de MAX 200. A Airbus fez diversas alterações com o A321neo para acomodar até 240 passageiros em uma única classe, e assim conseguiu suprir a falta do Boeing 757 no mercado de aeronaves.

COMPARTILHAR