A paralisação da frota de testes do 737 MAX durou poucos dias, menos do que a imprensa esperava, a Boeing anunciou nesta sexta-feira (12/05) a retomada dos voos de testes com o 737 MAX 8, somente dois dias após paralisar todos os voos para inspecionar e corrigir uma possível falha no motor CFM Leap-1B.

“Hoje retomamos algumas atividades de voo com o 737 MAM. As agências reguladoras já estão cientes e estão apoiando esta ação”, disse a Boeing através de um comunicado para a imprensa publicado no dia 12 de maio.

A primeira aeronave a voar decolou de Seattle às 12h14 (hora local). Enquanto isso os voos da Batik Air com o 737 MAX 8 estão suspensos, a entrega da aeronave ainda está prevista para acontecer na próxima semana, no dia 15, porém o início dos voos comerciais com a aeronave serão realizados somente em junho, após a correção total do problema.

 

A proibição

A proibição deriva de uma notificação da CFM International, ela relatou nesta quarta-feira que encontrou problemas de fabricação nos discos da turbina de baixa pressão do motor Leap.

A falha foi apontada através de uma inspeção no motor na linha de montagem final. O problema não afetou a certificação da aeronave, que foi homologada em março, porém a Boeing e a CFM decidiram tomar essa medida cautelosa para evitar problemas nas operações, como está ocorrendo agora com o A320neo equipado com motores Pure Power, da Pratt & Whitney.

A LPT (Low Pressure Turbine) do motor Leap-1B é projetado pela Snecma, uma parceira da joint venture CFM. Esse componente é composto por lâminas de alumineto de titânio, embora o mesmo material não seja encontrado nos discos afetados.

Cerca de 30 motores serão inspecionados nos Estados Unidos e na França. Enquanto isso, a produção continuará usando discos de um fornecedor separado, disse Rick Kennedy, porta-voz da GE.

This post is available in: pt-brPortuguês