Dois bombardeiros TU-160, também conhecidos por Blackjacks foram interceptados por volta das 06h30min (04h30 no horário de Brasília) nesta quinta-feira, dia 9 de fevereiro. Primeiramente a Armée de l`Air (Força Aérea Francesa) enviou dois aviões, um avião radar um Boeing E-3F e um Avião-Tanque C-135, para identificarem os 2 dos 4 aviões russos que mantiveram uma proa diferente dos outros 4 que voltaram para a Rússia.

Após a identificação dois aviões Dassault Mirage 2000-5 decolaram da base de Lorient para interceptar os dois Tupolevs da Rússia, além do Mirage 2000-5, um Dassault Rafale também foi enviado para auxiliar na interceptação.

A missão contra os bombardeiros russos também fez um F-18 Hornet da Força Aérea Espanhola decolar para fazer a interceptação, isso antes que os TU-160 retornassem a Rússia. Além dos caças franceses e do espanhol a força aérea inglesa (RAF), enviou caças Eurofighter Typhoon para auxiliar nessa missão.

Tais medidas demostram como é integrada a rede de defesa aérea em relação a OTAN e os países do qual fazem parte, a divisão das missões de interceptação foi bem-sucedida, assim que os bombardeiros se aproximaram do Espaço Aéreo do Reino Unido, caças Eurofighter entraram em ação, ao se aproximar da França, os franceses tomaram controle da missão e por fim passando para os espanhóis. Vale salientar que os Blackjacks não adentraram no espaço aéreo francês, então não houve violação de fronteiras.

Em outubro do ano passado a Força Aérea da Rússia também deixou alguns países da Europa em alerta ao passar com um TU-160 perto de países banhados pelo Oceano Atlântico, neste caso o bombardeiro fez um voo para atacar bases na Síria, e retornou para a Rússia em seguida. Nesta ocasião a Noruega enviou dois caças F-16 para escoltar a aeronave, a RAF mandou caças Eurofighter Typhoon e a França escoltou o bombardeiro com caças Rafale.

COMPARTILHAR