A Bombardier irá demitir cerca de 7500 funcionários até 2018, isso é cerca de 500 postos de trabalho a mais do que a quantidade anunciada em fevereiro deste ano.

“Enquanto uma restruturação é sempre difícil, as ações anunciadas hoje tornam-se extremamente necessárias para assegurar nossa competitividade a longo prazo, a fim de continuar investindo de forma incessante no portfólio de produtos líder da indústria, enquanto tentamos equilibrar as contas”, disse o CEO da Bombardier, Alain Bellemare.

No final de 2015 a Bombardier registrava por volta de 70900 contratados em todos os países em que atua. Essa quantidade representa cerca de 10 a 12% do seu efetivo atual, com esse corte a Bombardier espera economizar US$ 300 milhões até 2018.

Na apresentação de seu balanço de 2015 foi anunciado uma queda de 16% nas receitas da Bombardier, quando comparado com o ano anterior, grande parte é devido a queda nas encomendas e entregas, além do custo adicional que o programa CSeries exigiu para prosseguir. Em outubro do ano passado o Governo de Quebec investiu 1 bilhão de dólares no projeto do CSeries, de acordo com a Bombardier na época, tal quantia seria necessária para finalizar as últimas etapas de certificação do CS100 e CS300.

 

Veja mais em:

Bombardier corta 7000 empregos em todo o mundo

 

COMPARTILHAR