A Bombardier assumiu que precisou fazer um redesenho do jato executivo Global 7000 para reduzir o peso da aeronave e manter a boa aerodinâmica da aeronave, assim como no Global 6000. O presidente-executivo da empresa, Alain Bellemare, ainda revelou que esse redesenho resultou em um atraso de dois anos do projeto original do Global 7000.

Bellemare corrigiu rumores e disse que as asas da aeronave foram redesenhadas apenas para aliviar peso, não há diferenças na aerodinâmica em relação ao processo original. A asa original, mais pesada, foi entregue para a primeira aeronave de teste de voo do Global 7000 (foto acima), que acumulou 100 horas de voo desde novembro. A ala mais leve e redesenhada será entregue ainda este ano.

A Triumph Aerostructures agora quer que a Bombardier pague os custos superiores de fazer a empresa alterar todo o maquinário de produção, a Triumph irá entregar a unidade de asas com alterações já para o segundo Global 7000, que irá voar no 2º semestre de 2017.

O Global 7000 é uma aeronave criada pela Bombardier para crescer ainda mais a família Global, ela irá concorrer com o Gulfstream G650ER até no alcance de voo e teto de voo, que será de 13705 km e 51 mil pés, respectivamente. O sistema Fly-By-Wire da aeronave sofreu alterações e agora é baseado na família CSeries.

Bellemare afirma que o projeto está muito maduro em seu desenvolvimento, e que o planejamento para entregar a primeira unidade no final de 2018 ainda está em vigor. Ele também afirmou que a Bombardier está aplicando os conceitos aprendidos com o desenvolvimento da família CSeries.

 

 

Via – FlightGlobal

This post is available in: pt-brPortuguês