A Bombardier terminou 2017 com outra notícia ruim para divulgar, a empresa fechou o ano novamente com prejuízo, dessa vez de US$ 516 milhões, além de uma queda na receita de 0,7%, registrando apenas US$ 16,2 bilhões arrecadados ao longo do ano. O Ebit foi de US$ 672 milhões, valor 57% maior em relação a 2016.

A Bombardier atribuiu isso a menor produção do jato CSeries em 2017, devido aos problemas de fornecimento de peças, além do gasto no desenvolvimento do jato executivo Global 7000.



Em 2017, a fabricante tinha a meta de entregar entre 30 a 35 aviões no ano anterior, mas acabou entregando apenas 17 jatos da linha CSeries, diminuindo consideravelmente a receita prevista. A empresa ainda entregou 30 aviões Q400 e 26 da linha CRJ no mesmo ano.

No ramo de jatos executivos a Bombardier entregou 29 aviões da linha Challenger e 13 da linha Global.

A Bombardier espera voltar a lucrar em 2018, visto que a empresa terminará o processo de certificação do Global 7000 e produzirá mais jatos CSeries em 2018, cerca de 20 a 25 aviões.

Os resultados da Bombardier também estão relacionados ao setor de transporte da empresa, regidos pelos trens e metrôs. Esse setor tem um impacto significativo no resultado financeiro da Bombardier.