A start-up BOOM apresentou oficialmente seu novo conceito de avião supersônico em Colorado, nos Estados Unidos. Essa nova aeronave é um protótipo para testar as tecnologias que irão na aeronave BOOM, o protótipo é chamado de XB-1 Supersonic Demonstrator.

boom_xb-1_3

O protótipo, apelidado de Baby BOOM, tem capacidade para 2 tripulantes, tem uma curta envergadura de 5 metros, formada por uma asa em forma de delta, seu comprimento é de 20 metros e tem as mesmas capacidades da aeronave maior, isso inclui também a velocidade.

O XB-1 tem previsão para ter seu primeiro voo em 2017, ele fará testes na velocidade subsônica em Denver, no Colorado. Por conta das características do voo supersônico, e isso inclui o tradicional estrondo quando a aeronave supera o MACH 1, os outros voos serão realizados na Base da Força Aérea de Edwards, que fica no sul da Califórnia.

O protótipo também inova ao ter um motor que não necessita de pós queima na saída do motor, e portanto, é mais econômico durante o voo. Esse motor faz parte de uma nova geração da General Electric (GE).

160324100128-boom-flying-exlarge-169

O BOOM – original – poderá transportar até 45 passageiros, o tem velocidade máxima de Mach 2.2 (2335 km/h), 0.2 a mais que o Concorde e 1.4 a mais do que uma aeronave convencional de última geração, como o Boeing 787. Ele mantem a mesma envergadura reduzida, com apenas 18 metros, e tem comprimento de 52 metros.

A previsão para o primeiro voo da aeronave original é para 2023, após a conclusão do desenvolvimento de tecnologia no XB-1.

Projeção do BOOM em Heatrow/Londres.
Projeção do BOOM em Heatrow/Londres.

Richard Branson está apoiando o projeto com sua empresa Virgin Galactic, que também realiza projetos de voo para o espaço. Além de apoiar na fase de projeto, Branson também já encomendou 10 aeronaves BOOM.

“Sessenta anos após o início da era do jato, ainda estamos voando com velocidades dos anos 1960. Os designers da Concorde não tinham tecnologia para viagens supersônicas a preços acessíveis, mas agora podemos fazer isso”, disse o presidente da BOOM, Blake Scholl, se referindo a tecnologia, hoje ultrapassada, incorporada no Concorde.

 

Veja mais:

Uma análise – Novos projetos de aviões supersônicos e hipersônicos

COMPARTILHAR