Pela primeira vez, a Força Aérea Brasileira (FAB) e a Marinha do Brasil (MB) trabalharam integradas em operações de reabastecimento em voo (REVO). O treinamento foi realizado entre os caças AF-1, conhecidos como A-4, do 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1); e os F-5 M, do Grupo de Defesa Aérea (GDA), da Aeronáutica. As missões encerraram nesta terça-feira (26/10) na Base Aérea de Anápolis (BAAN).

O objetivo da missão, inédita no País, é a transferência de combustível no ar do caça da Marinha para as aeronaves da FAB, aumentando a autonomia dos caças reabastecidos em um cenário de combate. O reabastecimento em voo dos F-5M, regularmente, é feito por aviões cargueiros como o C-130 Hércules.

Foto - Força Aérea Brasileira/Divulgação
Foto – Força Aérea Brasileira/Divulgação

A oportunidade se deve aos caças A-4 atuarem como aeronaves reabastecedoras, através do sistema denominado Buddy Store, que permite a transferência de combustível de forma rápida e segura. Em média, podem ser repassadas até 2 mil libras de combustível do tanque extra, com possibilidade de aumento de transferência, caso seja necessário utilizar o combustível do tanque das asas do caça.

De acordo com o Comandante do esquadrão de caça da Marinha, Capitão de Fragata Alexandre Vasconcelos Tonini, situações como essa pode ser empregadas em operações integradas em porta-aviões, quando é necessário aumentar a capacidade de autonomia dos caças. “É um momento de orgulho estar à frente do esquadrão e trabalhar junto com GDA na defesa aérea do país”, comenta.

Para o Comandante do GDA, Tenente-Coronel Paulo Cezar Fischer, o emprego em conjunto é um fator importante para garantir a segurança do espaço aéreo. “Importante essa integração porque podemos, em uma situação de necessidade, tomar as ações necessárias e garantir o resultado esperado”, declara.

 

Via – Força Aérea Brasileira

 

COMPARTILHAR