A Etihad Airways, que em novembro passado informou o cancelamento de voos para o Brasil, segundo a empresa a situação econômica adversa do Brasil foi o motivo de cancelar a rota Abu Dhabi-São Paulo, os voos continuam até 25 de março de 2017.

Com base nos dados fornecidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), percebe-se de fato que não ficou continua a ocupação das aeronaves, houve oscilações nos voos entre Guarulhos – Abu Dhabi e chegou a ter resultados ruins com porcentagens abaixo de 60% em determinadas meses do ano.

Observa-se que a redução nas porcentagens foram justo na rota saindo de Guarulhos para Abu-Dhabi, o que de fato demonstra o cenário adverso econômico do Brasil. Justo nos meses entre maio e julho de 2016 foi onde houve a queda nas porcentagens chegando aos 53% de Load Factor Médio, ou seja, a quantidade de assentos ocupados na aeronave.

O Load Factor do voo é um item que pode influenciar diretamente na continuação de uma rota operada pela companhia ou não. Com um load factor alto a companhia pode vender passagens aéreas a preços menores, e portanto acaba atraindo mais passageiros, dessa forma também é mais fácil de fechar o custo do voo, já que há uma demanda maior por aquele serviço.

Com o Load Factor baixo a companhia precisa subir o preço das passagens aéreas para cobrir o custo do voo, não está claro ainda se há uma questão de demanda fixa entre os meses de maio e agosto, porém com uma ocupação média de 53% é mais difícil fechar o preço do voo e ainda assim obter um bom preço de venda nas passagens. Só em 2015 a Etihad conseguiu lucrar US$ 103 milhões com um fator de ocupação médio de 79,4%, isso para todas as rotas que a companhia opera.

 

COMPARTILHAR