Para o CEO do Grupo Airbus, Tom Enders, a região do Golfo, onde fica os principais países árabes, é muito importante para o setor de aviação, com grande impacto nas encomendas e na fabricação de aeronaves. 

“Qualquer interrupção em qualquer região ou mercado maduro que seja relevante para nós é um motivo de preocupação”, disse Enders para jornalistas em um comunicado de imprensa no dia 8 de junho, antes do Paris Air Show.

De acordo com ele a região responde por 13% das encomendas não finalizadas da Airbus. A referência foi direta ao bloqueio realizado contra a Qatar Airways, no qual a Arábia Saudita tem grande influência, para ele esse movimento foi “preocupante para a Airbus, e outras fabricantes de aeronaves. Espero sinceramente que essas interrupções não se desenvolvam em um conflito de longo prazo “, disse Enders.

Só com a Qatar Airways a Airbus tem mais de 110 encomendas, incluindo 2 aeronaves A380. Os países árabes também são responsáveis por operar mais da metade da frota de aviões A380 no mundo, a Emirates lidera a lista com 95 A380 em sua frota.

Apesar disso Enders minimizou que a Airbus é muito dependente do Oriente Médio. “Estamos longe de ser sobre-expostos a esta região”, disse ele. Mas a Qatar Airways pode até mesmo atrasar as entregas dos jatos A350-1000, enquanto vê seu crescimento freado pelo bloqueio do espaço aéreo. A Qatar Airways é a primeira companhia do mundo que receberá um A350-1000.

“Eu acho que esta região permanecerá importante e relevante, permitindo algumas recuperações, alguma consolidação. Ninguém pode excluir isso ao longo prazo”, disse Enders.

 

Via – ATW

This post is available in: pt-brPortuguês