Após chamar as companhias aéreas dos Estados Unidos de “grande porcaria” e as comissárias das companhias de “avós”, o CEO da Qatar Airways resolveu se retratar pessoalmente do mal estar que o comentário gerou nas companhias aéreas norte-americanas.

Nos Estados Unidos o vice-presidente de serviço de voo da American Airlines, uma das companhias americanas que tem seus tripulantes com idade média bem maior, não gostou e criticou publicamente o CEO da Qatar.

A Air Line Pilots Association disse que a fala de Al Baker foi “Insultante, desrespeitosa e infantil”. Enquanto isso o grupo AFA-CWA, de comissários de bordo, classificou como discriminação o ato do CEO, reiterando que os clientes da companhia “apoiam atos de racismo, sexismo e preconceito”.

Através de um pedido oficial de desculpas ele disse: “Essas colocações não refletem meus verdadeiros sentimentos a respeito de comissárias de bordo ou sobre qualquer funcionário, todos merecem e tem meu total respeito.” 

“Para a equipe de cabine de todas as companhias aéreas, o profissionalismo, a habilidade e a dedicação são as qualidades que importam. Eu estava errado em considerar fatores como idade relevantes”, completou Akbar Al Baker, CEO da Qatar Airways.

COMPARTILHAR