Produzir mais motores do que atualmente nos próximos anos é um lema da CFM, que agora está abrigada com muitas encomendas para motores CFM 56 e LEAP-1, só nesta semana mais de 200 motores Leap-1A foram encomendados, com entrega para os próximos anos.

A joint-venture entre a GE Aviation e a Safran já planeja entregar 1900 motores este ano, sendo destes 1400 motores CFM 56 e 500 do modelo Leap-1, para alimentar as aeronaves A320neo, 737 MAX e C919. Porém entre 2018 a 2020 a CFM planeja produzir 800 motores a mais 



Primeiramente a CFM terá que expandir a linha de fabricação do CFM 56, a demanda para este motor ainda é alta, visto que as companhias ainda operam com uma boa frota composta por aeronaves que são equipadas por este motor, além das novas que estão sendo fabricadas (e serão até 2021).

Isso também é reflexo do aumento na taxa de produção das aeronaves A320, para 60 aviões por mês em 2019, e para o Boeing 737, para 57 aviões por mês em 2019. O próprio pedido para entregar mais 800 motores CFM Leap-1, além dos que já estão planejados, é proveniente da Boeing, já que o 737 MAX é equipado exclusivamente com motores da CFM.

“A Airbus e a Boeing nos pediram para adicionar um conjunto de 800 motores entre agora e 2020”, disse o presidente da GE Aviation, David Joyce. Apesar da carga adicional no compromisso de produção já sem precedentes, ele acrescentou: “Nós nos sentimos muito bons com o aumento de velocidade. Não é uma extrapolação, é uma interpolação. É jogo e estamos prontos. “

Assim em três anos a CFM produzirá 1500 motores CFM Leap-1 já planejados, além de 800 adicionais. A GE tem mais de US$ 158 bilhões em motores encomendados que a companhia irá entregar nos próximos anos, inclusive com a CFM, só nessa semana durante o Internacional Paris Air Show a empresa fechou mais de US$ 15 bilhões em encomendas.