A COMAC, da China, juntamente com a UAC, empresa russa de aviação, apresentaram na manhã de hoje o novo projeto para uma aeronave wide-body, com duplo corredor e capacidade para levar mais de 250 passageiros e voar por longas distâncias. Essa parceria só foi possível devido à formação da CRAIC, China-Russia Commercial Aircraft International. A sede da nova empresa será em Xangai.

Na cerimônia de lançamento do projeto estava o presidente da COMAC, Sr. Jin Zhuanglong, o vice-presidente da COMAC, Sr. He Dongfeng, o presidente da UAC, Sr. Yury Slyusar e o vice-presidente da UAC, Sr. Vladislav E. Masalov. O primeiro presidente da CRAIC será Vladislav E. Masalov, vice-presidente da UAC e presidente da OAK, sua gestão será acompanhada pelo gerente geral, Guo Bozhi da COMAC.

Esse evento de hoje deriva de um contrato assinado no dia 25 de junho de 2016, com a presença do Presidente Xi Jinping da China e o Presidente Putin, da Rússia, na ocasião a COMAC e a UAC formaram uma joint-venture para realizar esse projeto, logo após o registro comercial foi realizado, bem como o registro industrial.

Foto – China Daily/via REUTERS

As duas empresas que compõe a CRAIC relataram que estão entusiasmadas com a criação de uma aeronave, bem como oferecer o desempenho de fabricação, operação, serviço pós-venda e marketing. Os fornecedores da nova aeronave serão escolhidos de acordo com sua experiência, assim como a COMAC está fazendo atualmente com o C919, escolhendo fornecedores como a Honeywell e CFM.

A UAC também está desenvolvendo uma nova versão do Ilyushin IL-96. Slyusar disse que os dois programas tinham requisitos diferentes, e que o UAC usaria a experiência com a IL-96 para auxiliar o desenvolvimento do jato russo-chinês.

 

Parceria entre UAC e Comac

Foto – China Daily/via REUTERS

A parceira entre a Comac e a UAC é uma nova forma de juntar experiências para desenvolver uma aeronave comercial com duplo corredor, de grande tamanho com somente um andar. O vice-presidente da Comac já afirmou que o desenvolvimento total desse novo avião poderia demorar entorno de 10 anos.

Durante a cerimônia os diretores da CRAIC confirmaram o alcance médio de 12000 km do novo avião, bem como a disponibilidade de 280 assentos para 3 classes de passageiros, números bem semelhantes ao do Boeing 787-10.  A fabricação das peças será realizada em ambos os países, mas a montagem final será sempre em Xangai. A primeira entrega poderá ser realizada entre 2025 e 2028. 

Os fornecedores serão incentivados para considerar a fabricação dos componentes na China, quer através de “investimento local ou joint-ventures”.

A CRAIC buscará ocupar 10% do mercado de aeronaves com duplo corredor, na faixa do Boeing 787 e do Airbus A350, isso representa mais de 200 aeronaves encomendadas, visto que as encomendas do Boeing 787 e do Airbus A350 juntas somam mais de 2000 aeronaves.

O investimento total das duas empresas no projeto será na ordem de 13 a 20 bilhões de dólares.

 

Preço baixo e mercado a favor

O mercado asiático, especialmente o da China, é o que experimentará o maior crescimento nos próximos 20 anos, a construção da aeronave vem exatamente neste momento a favor e também deverá receber a ajuda do Governo Chinês para alavancar o desenvolvimento da nova aeronave, e assim caracterizar a China como um país capaz de se auto-abastecer no setor de aviação.

O Comac C919 recebeu mais de 570 encomendas até o momento, boa parte delas são de companhias aéreas da China, através de um favorecimento do governo para o financiamento dessas aeronaves, bem como o leasing da mesma.

A Comac, juntamente com a UAC, prevê que essa aeronave terá seus custos de operação reduzidos em até 15%, porém não declararam se o preço de aquisição do equipamento seria muito abaixo da concorrência (Boeing e Airbus), esse ponto é importante, dias antes, logo após o primeiro voo do C919, a Ryanair demonstrou interesse no novo jato chinês narrow-body e acabou por divulgar o preço praticado pela China para o C919, que é quase metade do preço aplicado pela concorrência (A320neo e 737 MAX), por isso o interesse da maior operadora de jatos narrow-body da Europa.

A UAC já tem uma ampla experiência com a fabricação de jatos, com experiência derivada desde os tempos da URSS, a UAC hoje engloba as principais construtoras estatais da Rússia, como a Sukhoi, Irkut, Yakolev, Tupolev, Ilyushin e Beriev. Recentemente a UAC se encarregou de projetar o jato regional SJ100 e o jato de médio tamanho MC-21, que ainda não realizou seu primeiro voo.

Já a Comac só tem experiência com duas aeronaves recentemente, que são os ARJ 21 e o C919, este último realizou seu primeiro voo de testes recentemente, após uma série de atrasos por questões de imaturidade do projeto.

This post is available in: pt-brPortuguês