Foto - COMAC/Reprodução

A COMAC adiou novamente a primeira entrega do seu jato C919, o prazo para 2020 anunciado durante o primeiro voo da aeronave no ano passado, foi adiado para 2021.  Dessa forma o C919 já acumula quatro anos de atraso, em relação ao prazo divulgado inicialmente pela empresa em 2008. 

A COMAC divulgou essa nova data em meio a vários problemas de desenvolvimento da aeronave, a empresa só conseguiu construir dois protótipos até o momento, e está tentando avançar no programa de certificação da aeronave, enquanto precisa corrigir problemas de projeto do jato.



O ideal seria a Comac construir seis protótipos, de acordo com a empresa, mas quase três anos após apresentar o primeiro avião, a fabricante está contando somente com dois.

Por isso o vice-gerente de vendas e marketing da COMAC, Lu Zheng, disse que a empresa tentará fazer a primeira entrega em 2021.

Foto – COMAC/Reprodução

O COMAC C919 é bem semelhante com o A320 da Airbus, medindo 38,9 metros de comprimento, 35,8 metros de asa, altura de aproximadamente 12 metros e largura de cabine de 3,9 metros. No geral está disposto 3 versões para compra que alcança de 156 passageiros até 174 quando em configuração de 1 classe com alta densidade, o seu projeto tem participação de empresas americana e europeias para construir diversos sistemas da aeronave, outro passo para a ocidentalização do COMAC.

A aeronave tem uma autonomia de 4075 km. Uma versão de longo alcance pode voar até 5555 quilômetros.

A fabricante espera produzir cerca de 2000 aviões e já recebeu mais de 570 encomendas provenientes de 23 clientes, a maioria companhias aéreas da China que ganharam incentivo para comprar o jato. O C919 concorre diretamente com o 737 MAX 7 e o Airbus A320neo em capacidade de passageiros.