A Comac, uma empresa estatal chinesa do ramo aeronáutico, falou pela primeira vez sobre a sua colaboração para projetar um novo wide-body em colaboração com a UAC (Russia United Aircraft). Na declaração da Comac foi revelado o tamanho esperado e alcance esperado para a aeronave, e o cronograma do projeto.

O fabricante chinês até agora manteve-se em silêncio sobre o desenvolvimento, deixando qualquer anúncio para o governo chinês. No show aéreo de Farnborough, no entanto, a Comac disse para o portal FlightGlobal que ambas as partes concordaram em um jato com 280 assentos, e que terá um alcance para cerca de 12000 km. O plano conjunto da Rússia e China é realizar o primeiro voo em 2022.

Comac e da Rússia United Aircraft (UAC) também vai criar uma joint venture,  que será registrada em Xangai. Depois disso, uma equipe de engenharia composta por membros das duas partes irá completar em conjunto o projeto e desenvolvimento da aeronave. O centro de montagem final do jato também será baseado em Xangai.

O Presidente da UAC, Yuri Slyusar, disse que a aeronave será alimentada por motores Rolls-Royce ou General Electric. A longo prazo, no entanto, existem planos para ambos os países desenvolverem seus próprios motores, porém essa não é a prioridade para a colaboração entre os países.

Slyusar disse que a primeira aeronave voando comercialmente será no intervalo de 2025 a 2027. O jato irá utilizar várias tecnologias do MC-21, um avião russo de nova geração, que inclue uma asa em fibra de carbono, fly-by-wire, side-stick com feedback, e cabine pressurizada na altitude de 6.000 pés. No geral o projeto terá as mesmas características das aeronaves de nova geração, como o próprio MC-21 e o Boeing 787.

A joint venture Comac-UAC tem previsão para ser formada no final do ano, para então lançar oficialmente o projeto no primeiro semestre de 2017.

 

Fonte – FlightGlobal

COMPARTILHAR