Entre 3 a 8 de Abril aconteceu a 20º edição da FIDAE (Feira Internacional do Ar e Espaço), em Santiago, Chile. O evento que é o principal da América Latina no seguimento Aeronáutico que acontece desde os anos 80 sempre traz atrações do mundo todo, seja da aviação militar, civil e empresas com estantes para exposição com novidades do setor.

Essa edição de 2018 não foi diferente. As principais nações do mundo estavam presentes no evento, algumas levaram aeronaves para expor, outras com estantes apresentando novidades para o público presente.

Nos dias de 3 a 6 de abril a feira foi voltada para um lado mais executivo, com palestras e  coletivas de imprensa. Já nos dias 7 e 8 foi o dia do público geral ver de perto das diversas aeronaves espalhadas pelo pátio da IIº Brigada Aérea (Base Aérea de Pundahuel).

USAF

Foto: André Magalhães-Aeroflap

A presença de maior número realmente foi a dos USA, a USAF (Força Aérea Americana), que levou 9 aeronaves algumas delas de grande porte.

Um dos destaques ainda por parte dos americanos foram dois Lockheed Martin F-35A a USAF, caças estes de quinta geração que estão no topo da aviação militar atual, que pela primeira vez estiveram na América na latina. Ainda no âmbito da aviação de caça outro destaque foi o também de quinta geração Lockheed Martin F-22 Raptor que já veio outras vezes para a FIDAE mais sempre é um dos pontos altos do evento.

Lockheed Martin F-35A USAF/Foto: André Magalhães-Aeroflap

Partindo para as aeronaves de grande porte, o que mais chamou a atenção pelo tamanho, mas também pela própria história, o lendário bombardeiro B-52 Stratofortress que pela primeira vez ficou exposto na base.

Outra grande presença foi do Boeing C-17 Globemaster III, que veio como suporte para todos os equipamentos das mais várias aeronaves da USAF que marcaram presença.

Boeing B-52H Stratofortrees/Foto: André Magalhães-Aeroflap
Boeing C-17 Globmaster III/ Foto: André Magalhães

Um clássico tri-reator chamou a atenção, tratava-se do KC-10, uma das duas aeronaves responsáveis por reabastecer os F-35 e F-22 no voo dos EUA ao Chile. Outra aeronave que estava presente era o KC-135, que também pode reabastecer demais aeronaves, além de um C-180J Hércules também da USAF.

BRASIL

A presença brasileira também foi destaque na 20º edição da FIDAE, por parte do Brasil além dos estantes na parte interna, no pátio tinha o KC-390 que pela primeira vez participou do evento e a nossa Esquadrilha da Fumaça, que já é veterana nas edições anteriores da FIDAE.

O KC-390 não ficou até o último dia da FIDAE, porém no curto tempo em que ficou no pátio da base aérea de Pundahuel, chamou bastante a atenção e a Embraer conseguiu mais uma vez demostrar a potência da indústria brasileira. Um momento chave da presença brasileira no Chile foi o voo em formação da Fumaça com o KC-390.
CHILE (Donos da casa)

 

AIRBUS

A Airbus estava presente com os estantes e com dois gigantes no pátio da base, o Airbus A350 que representou bem o lado comercial da fabricante e o Airbus A400M Atlas do Ejercito del Aire Espanhol, que a cada voo de demonstração fazia manobras incríveis pelo tamanho da aeronave.

O Airbus A350 também fez voos de demonstração, porém não ficou até o final da Feira aeronáutica, mas foi sim um dos grandes destaques do evento desde a primeira participação em 2016.

PRINCIPAIS ATRAÇÕES

As atrações como já foi dito acima eram várias, durante todo o dia várias apresentações ocorriam, assim que uma acabava outra começava o que deixa ainda mais empolgante o evento.

Os donos da casa, com os Halcones impressionam todos com as manobras de alta performance do Extra 300, a nossa querida fumaça, não ficou para trás e representou bem o Brasil, com manobras de tirar o folego. Um dos pontos altos, foi o voo em formação da Esquadrilha da Fumaça com os Halcones, que mais uma mais selaram uma antiga amizade entre os dois grupos.

Ainda por parte dos chilenos, a velocidades e potência foi sentida por todos com o demo do F-16 MLU que pura potência. Outro caça que não pode deixar de ser percebido foi o F-5E Tiger II também da FACH ( Força Aérea Chilena), que demostrou que apesar de antigo, o Tiger é uma aeronave bem ágil.

O Peru não ficou de fora e demostrou a manobrabilidade, do C-27 Sparta, uma aeronave de transporte tática fabricada pela empresa italiana, Leonardo e pelo treinador KT-1P Torito, aeronave feita em conjunto entre o Peru e a Coréia do sul.

 

C-27 Sparta-Força Aérea Peruana/ Foto:André Magalhães

O norte-americano Skip Stewart levava o público ao delírio com manobras a baixa altura com seu Pitts S2, aeronave que ele próprio construiu. A cada voo do pequeno biplano era garantia de muita emoção e perícia por parte do piloto.

Foto: André Magalhães-Aeroflap

Um gigante, porém de asas rotativas foi o Sikorsky S-64 Skycrane, que impressionava pelo tamanho, barulho e forma da aeronave. As passagens baixas e o lançamento de água eram bem visto por todos os presentes no evento.

Os chilenos além de ter um dos maiores eventos aeronáuticos do mundo, demostraram uma boa parte da Força Aérea do país nessa edição da FIDAE. O ponto mais alto por parte deles foram as demonstrações dos Halcones (time de demonstração chilena com aeronaves Extras 300L) e o demo do F-16 MLU, que surpreendia em cada passagem e manobra do caça.

F-16 MLU-Força Aérea Chilena/ Foto- André Magalhães-Aeroflap

A presença se fez também nos estantes nos pavilhões, estantes estes expondo curiosidades da força aérea do país, com diversos folhetos e militares para sanar dúvidas.
Voltando para a área externa, o pátio estava cheio de C-130/KC-130 Hércules, além das aeronaves da Marinha Chilena, como por exemplo, o C-295 Naval.

DEMO F-22 RAPTOR

F-22 Raptor/Foto:André Magalhães-Aeroflap

Apesar de já citado acima vale falar um pouco mais de uma das principais atrações do dia ou se não a principal atração do evento, que é o F-22 Raptor. O caça de quinta geração da Lockheed Martin já é conhecido na FIDAE, porém desde a primeira participação em 2010, faz toda a multidão apreciar, as manobras incríveis do caça norte americano. Que esse ano tem como o piloto demo o Major “Loco Lopez”.

Apresentação dura em média 20 minutos e desde os procedimentos de solo, já se observa que vem muita coisa incrível pela frente. O F-22 que pode decolar em apenas 300 metros se mantém baixo sobre a pista e ao chegar à frente do público faz uma puxada subindo na vertical com toda a potência de seus dois motores Pratt & Whitney F119, a partir daí são várias sequências de acrobacias que mexem com os sentidos de todos. Graças ao empuxo vetorado o caça pode fazer manobras que os demais caças não fazem, com exceção dos caças russos.

Após o pouso e a finalização dos procedimentos de solo, o Maj Lopez ia até ao público distribuir folhetos, adesivos, autografar e tirar várias fotos com o público presente.

Lockheed Martin F-22 Raptor/ Foto: André Magalhães-Aeroflap
Maj. Loco Lopez da USAF/ Foto- André Magalhães-Aeroflap

 

Confira mais imagens da FIDAE 2018

This post is available in: pt-brPortuguês