Há 15 anos a Airbus vem aumentando a sua produção de aeronaves, e em 2017 a empresa novamente terminou com um recorde de entregas. Foram 718 aeronaves produzidas e recebidas pelos clientes da empresa.

No total 558 aviões da família A320 foram produzidos, incluindo os 181 da família A320neo. Com esse número a Airbus conseguiu realmente consolidar sua perspectiva de aumento de produção do A320neo, houve um crescimento de 166% na produção, comparando com 2016.



Enquanto na linha de wide-body da Boeing o 787 lidera, na Airbus esse posto fica com o A350XWB, que teve 78 unidades produzidas, um aumento substancial em relação a 2016 principalmente devido à falta de problemas com os fornecedores, que a Airbus enfrentou em 2015 e 2016.

Atrás vem o Airbus A330, com 67 entregas, um bom número, considerando que o A330neo está previsto para estrear neste ano no mercado.

Com dificuldades para conseguir mais encomendas, o A380 registrou somente 15 aviões produzidos.

A Airbus relatou que usou suas linhas de montagem na China, Hamburgo e Toulouse para produzir as aeronaves da família A320 e A330, enquanto isso a Linha de Montagem Final dos Estados Unidos entregou somente aeronaves da família A320, em uma taxa de 4 aviões por mês, o mesmo da China, que produziu cerca de 4 aviões por mês para companhias asiáticas.

As linhas de montagem dos EUA e da China começaram a produzir em 2017 o Airbus A320neo, a nova geração do best-seller da fabricante.

Cerca de 85 clientes receberam aeronaves da Airbus em 2017. Além disso 44 clientes encomendaram 1109 aeronaves, um resultado positivo para a carteira de pedidos, com números melhores em comparação com o obtido pela Boeing. O valor total dessas encomendas é de US$ 138 bilhões, quando considerado o preço de lista.

Esse não foi um recorde, visto que em 2007 a Airbus recebeu 1458 encomendas.

A Airbus terminou o ano com 7265 aeronaves encomendadas em sua carteira de pedidos, isso pode sustentar a produção da empresa por mais de 10 anos, caso nenhuma companhia cancele as encomendas e a Airbus seja capaz de manter a mesma taxa de produção de 2017.

Durante a apresentação dos resultados John Leahy destacou que a Airbus está recebendo mais encomendas que a Boeing nos últimos anos, mesmo sem atingir o número de entregas da fabricante americana.

A Airbus conseguiu liderar o mercado de aviões de um corredor, abrindo uma vantagem ainda maior em 2017. Podemos considerar que a vantagem da família A320neo está bastante no A321neo, um modelo bastante versátil com capacidade para até 240 passageiros, e considerando a versão LR, com alcance de até 7400 km. O A321neo é um avião sem concorrente no mercado atual.

Encomendas de aeronaves Airbus no mercado de corredor único superam a Boeing.

Já no mercado de aeronaves wide-body, com dois corredores, a Boeing ainda lidera o mercado, principalmente por causa da alta produção do 787 nos últimos anos. A Boeing já entregou mais de 600 unidades do 787 ao longo dos últimos 7 anos.

Encomendas da Boeing no mercado de duplo corredor superam as da Airbus, por pouco.

A Airbus também destacou que a família A320 (ceo e neo) recebeu ao longo de sua vida mais de 14120 encomendas. Número que quase iguala o A320 com todas as encomendas recebidas pelo Boeing 737, em suas quatro gerações desde a década de 60.

Com mais de 10900 aeronaves fabricadas, um avião da Airbus decola ou pousa a cada 1,4 segundo em todo mundo, um número muito expressivo.

 

Na Boeing

Fabrica da Boeing em Everett. Foto – Boeing

Já a principal concorrente da Airbus conseguiu superar o número de entregas, mesmo com a baixa na produção do 777 Classic e do 747. A Boeing entregou 763 aviões em 2017, foram 665 aviões só dos modelos 737 e 787.

Em todo ano a Boeing obteve 912 pedidos firmes, o montante total dessas encomendas resultam em US$ 134,8 bilhões considerando o preço de lista, a empresa não divulgou a quantidade de opções de compra durante esse período. Com isso a Boeing fechou o ano com 5864 aviões em sua carteira de pedidos a serem entregues, o que garante a produção por mais de 7 anos, mantendo a mesma taxa de entrega atual.

 

Visões para o futuro

Em 2019 a Airbus espera aumentar a taxa de produção do A320, e assim conseguir produzir até 60 aeronaves por mês. Se a Airbus manter a produção com essa taxa em todo o ano, será capaz de entregar 720 aeronaves por ano, só da família A320.

Linha de produção do A320 em Tianjin (China).

Boa parte dessa ajuda será realizada na Linha de Produção Final da China, visto que a fabricante fechou um acordo recentemente com o Governo Chinês para aumentar a taxa de produção na linha de Tianjin (Clique Aqui para ver mais sobre isso).

Em breve a produção do A330neo deverá ganhar forma, com a produção em série sendo estabelecida. Além disso a Airbus espera produzir mais unidades do A350XWB em 2018, passando a produzir 10 unidades por mês, ou até 120 por ano.