O Lockheed Super Constellation é um avião clássico, ele representa o período de ouro na aviação, e também a grande expansão depois da II Guerra Mundial.

A Lufthansa, em particular, operou com muitos desses em sua frota neste período, era a melhor forma de fazer voos entre a Europa e o continente Norte-Americano, até que os jatos chegaram e logo mostraram como esses aviões eram “ultrapassados”, aposentando boa parte deles em um curto período de tempo.

Uma boa constatação é que diversas companhias aéreas e museus optaram por conservar algumas unidades do Constellation durante esses anos, desde a década de 60 até este século atual, e por isso temos a felicidade de ver esse maravilhoso avião voando novamente.

É exatamente isso que a Lufthansa planeja fazer, ela quer colocar um Lockheed Super Constellation para voar o quanto antes, e contará com uma equipe de primeira da Lufthansa Technik, a divisão de manutenção e reparos, para colocar esse objetivo na realidade.

Esse projeto na verdade está em andamento há mais de uma década, chamado de Super Star, ele anteriormente era tocado por uma espécie de divisão da Technik. Agora a Lufthansa quer terminar logo a restauração do avião, e para isso precisará de uma ajuda da divisão de manutenção para resolver a complexidade, que os 70 mecânicos e a falta de ferramentas não conseguiram amenizar nos EUA.

O avião será desmontado e levado para a Alemanha através de um navio, com a fuselagem inteira. A Lufthansa optou por não voar com esse avião até a Alemanha, apesar dele estar funcionando parcialmente, para enviar perder o equipamento. Esse avião é um dos poucos Constellations com capacidade de voar.

A aeronave envolvida foi fabricada em 1957, e entregue para a Trans World Airlines (TWA), que atualmente não existe mais. O avião era famoso por sempre realizar voos entre os EUA e Alemanha.

 

 

 

Claro que isso merece um vídeo histórico:

This post is available in: pt-brPortuguês