O Aeroporto de Ezeiza receberá em breve uma ampla reforma e expansão do seu terminal, tal investimento já está sendo executado pela Aeropuertos Argentina 2000, uma empresa da Corporación América.

As obras serão realizadas para criar novas posições para a operação de aeronaves, e duplicará a capacidade do aeroporto, criando algo com que suporte receber até 30 milhões de passageiros por ano.

Com as obras da concessionária, o aeroporto terá quase o dobro de portões de embarque, passando de 27 para 52, e para agilizar a vida dos passageiros a empresa também operará com o quádruplo de totens para check-in.

Haverá também cinco novas esteiras de bagagem, e uma expansão do pátio vai aumentar a capacidade de receber aeronaves em 53%, aumentando a capacidade operacional do aeroporto.

Um novo edifício será responsável por unificar a área de check-in, imigração e possibilitar o acesso ao embarque nos terminais. O local terá 138 balcões de check-in, separados em 5 ilhas, enquanto também possibilitará 128 totens para check-in.

Além disso a empresa que administra o local fará uma integração dos terminais, permitindo que um passageiro seja capaz de transitar livremente onde hoje são os terminais A, B e C.

Nas áreas de controle de segurança e migração, uma nova tecnologia (scanners Scan-View) será incluída para otimizar o controle, e agilizar todo o processo, automatizando a inspeção.

Haverá também uma repavimentação total da parte central da pista e das cabeceiras, as luzes serão substituídas por uma tecnologia com LED, que diminui o consumo, aumenta a durabilidade e também a visibilidade das luzes.

A área total construída do aeroporto vai saltar de 58.400 m² para 217.230 m². De acordo com o Ministro dos Transportes da Argentina, Guillermo Dietrich, esse grande crescimento é para transformar Ezeiza em uma base que possibilite uma perfeita integração com outros 29 aeroportos, que estão sendo reformados, e assim expandir a aviação na Argentina.

A expansão da aviação argentina já está em curso, novas companhias começaram a operar no país, como a FlyBondi e a Norwegian, e a tradicional Aerolíneas Argentinas também cogita expandir sua frota.

 

 

 

This post is available in: pt-brPortuguês