O jato executivo Falcon 5X teve seu desenvolvimento cancelado pela Dassault Aviation após vários problema não solucionáveis com os motores Silvercrest da Secma/Safran Aircraft, que equipa a versão de testes do avião.

Os problemas de projeto do motor Silvercrest foram se acumulando, resultando em mais de 2 anos de atraso no projeto, que deveria ter sua certificação emitida em 2015. De acordo com a Dassault o motor tinha um problema no compressor de alta pressão, a Safran não se pronunciou nem quando causou um atraso de desenvolvimento do jato executivo, ainda na fase de projeto.

A Dassault disse que o “atraso” de quase três anos levou a uma série de cancelamentos de pedidos do 5X, incluindo 12 em 2016. Foi um golpe especialmente doloroso para a empresa que precisa desesperadamente do novo produto para aumentar suas vendas, que atualmente estão em queda, por causa da concorrência com os novos aviões da Embraer, Bombardier e Gulfstream.

Agora o planejamento da Dassault é usar o motor Pratt & Whitney PW800 para equipar o Falcon 5X, refazer o projeto pode levar mais de três anos, marcando 2020 como a data mínima para certificar o 5X. O motor PW800 já é conhecido por equipar os novos jatos G500 e G600 da Gulfstream, e oferecem uma excelente economia de combustível, em comparação com a geração anterior.

Mesmo usando o mesmo motor do concorrente, a Dassault mesmo assim vai lançar o seu produto após a Gulfstream, resultando em desvantagem nas vendas da aeronave.

A Cessna, que também espera equipar o Citation Hemisphere com o Safran Silvercrest, disse que está confiante na outra opção de motor, que também é o PW800.

 

This post is available in: pt-brPortuguês