Aeroporto Borispol em Kiev. Foto - Kiev Airport
Aeroporto Borispol em Kiev. Foto – Kiev Airport

Após um ataque hacker realizado por russos nos computadores do governo Ucraniano, incluindo o Aeroporto de Kiev (Borispol). A equipe de segurança do governo irá rever as diretrizes para evitar qualquer ataque que coloque em risco a vida dos passageiros do maior aeroporto da cidade de Kiev, segundo eles, tal falha também pode afetar a operação de trens e até mesmo a de satélites.

“No caso de Boryspil, o ministério pretende iniciar uma revisão das bases de dados do anti-vírus nas empresas que estão sob a responsabilidade do governo”, disse Irena Kostovska, porta-voz do ministério da infra-estrutura da Ucrânia, que supervisiona aeroportos, ferrovias e portas.

Em relação ao ataque, o governo ucraniano já havia registrado um caso em dezembro de 2015, quando um malware enviado por servidores russos atacaram 3 empresas estatais de energia, inclui uma de produção atômica, em janeiro desse ano o mesmo “vírus” foi detectado em alguns sistemas do controle de tráfego aéreo do aeroporto de Kiev na Ucrânia. Apesar do acontecido, a infecção não prosseguiu, depois de detectada, para alterar parâmetros que causaria a perda de segurança das operações do aeroporto.

Uma porta-voz do aeroporto disse que as autoridades ucranianas estavam investigando se o malware foi conectado a uma plataforma de software malicioso conhecido como “BlackEnergy”, que tem sido associada a outros ataques cibernéticos recentes na Ucrânia. O Ministério da Infra-Estrutura da Ucrânia recomendou inicialmente a revisão dos logs de arquivos em diversos sistemas em uso pelo governo, para ter certeza que nada foi alterado ilicitamente e sem a autorização prévia.

A empresa de inteligência cibernética dos EUA está colaborando com o governo ucraniano no caso, e em janeiro indicou que o ataque foi realizado por um grupo sediado por Moscou conhecido como Sandworm. Em dezembro de três empresas regionais de energia da Ucrânia experimentaram apagões de curto prazo, como resultado de software malicioso em suas redes.

Fonte – Air Wise

Traduzido e adaptado por – Aeroflap

COMPARTILHAR