Michael Hickey era diretor de operações da Ryanair, pelo menos após “pedir contas” do seu cargo na semana passada, após o cancelamento de 18 mil voos em apenas 6 meses. O anúncio foi feito oficialmente pela Ryanair.

Hickey ficará em seu cargo pelo menos até o final de outubro, para fazer a transição de funções a uma nova pessoa que assumirá esse comando na Ryanair. Ele decidiu sair da companhia depois das vários pronunciamentos de Michael O’Leary, CEO da companhia, sobre os erros na distribuição das férias dos pilotos.

Michael Hickey estava na empresa pelo menos desde 1988, é um funcionário de carreira, que entrou como engenheiro até subir ao posto de chefe das operações, organizando os voos, escalas dos tripulantes, entre outros serviços. O’Leary elogiou o ex-diretor e reafirmou a contribuição dada por Hickey por todo esse tempo na Ryanair.

Atualmente a Ryanair está enfrentando uma crise onde cancelou mais de 2000 voos de setembro a outubro deste ano, para conseguir organizar o calendário de férias dos pilotos e não sofrer punições da IATA. Mas depois disso a Ryanair anunciou outro corte de 18 mil voos entre novembro e março de 2018, afetando 400 mil passageiros. A Ryanair chegou até mesmo declarar o valor de 25 milhões de euros como prejuízo pelos cancelamentos.

This post is available in: pt-brPortuguês