Donald Trump convocou diversas companhias aéreas dos Estados Unidos para discutir assuntos financeiros e geração de empregos. Esse é mais um posicionamento do presidente norte-americano para fortalecer a economia do seu país e gerar mais empregos para os americanos.

De acordo com o portal ATW o presidente também irá discutir sobre as políticas anti-imigração que foram colocadas em prática no último mês de janeiro. Essa medida proíbe a entrada de cidadãos do Iraque, Irã, Iémen, Líbia, Somália, Sudão e Síria. Trump conversará com as companhias sobre como a medida ajuda no controle de fronteiras e na segurança interna do país.

Durante a mesma conversa o secretário de comunicação da Casa Branca, Sean Spicer, foi duro com a Norwegian Air Internacional, de acordo com ele a companhia precisa de ter boa parte da tripulação de americanos e aeronaves da Boeing para operar voos internacionais nos Estados Unidos. Essa declaração pode causar desconforto em outras companhias aéreas da Europa.

Trump ainda não tem uma posição clara em relação ao uso de aeronaves não fabricadas nos Estados Unidos por companhias aéreas norte-americanas. Em 2016 o setor de Aviação Comercial da Boeing demitiu 7,38% do seu efetivo, que resultou no total em 6091 empregos a menos, a Boeing planeja reduzir sua força de trabalho também em 2017.

Curiosamente essa convocação ocorreu no mesmo dia em que as principais companhias aéreas norte-americanas registraram uma queda de aproximadamente 6% nos voos internacionais após a medida anti-imigração de Trump.

 

COMPARTILHAR