A fabricante ELEB entregou a primeira unidade do trem de pouso do Embraer E195-E2 no dia 21 de novembro, com essa entrega antecipada o programa do Ejets E2 da Embraer continua no cronograma planejado.

Esse trem de pouso foi concebido para suportar um impacto elevado. Cada engrenagem é feita de titânio e aço, enquanto as hastes são feitas de alumínio. A ELEB produz trem de pouso para outras aeronaves da Embraer, bem como o sistema de válvulas e atuadores que estende e retrai as portas do trem de pouso.

O trem de pouso do E2 foi redesenhado juntamente com a nova asa da aeronave, controles fly-by-wire e estabilizadores verticais e horizontais para melhorar a eficiência de combustível. O E195-E2 está próximo de entrar na montagem final,  a Embraer já realizou testes estruturais na aeronave.

Foto - Embraer/Divulgação
Foto – Embraer/Divulgação

Um total de 240 mil voos serão simulados durante o período de testes em solo, três vezes maior do que o número de voos da vida típica de uma aeronave E-Jet. Além dos novos motores, o E195 E2 recebeu três novas seções na fuselagem, para aumentar a capacidade de passageiros, e também uma nova asa para melhorar a eficiência aerodinâmica.

O E195-E2 é a maior opção da Embraer para a família E-Jet, através das atualizações que a aeronave recebeu em sua segunda versão, ela será capaz de transportar até 144 passageiros em configuração de alta densidade, além de ter a autonomia incrementada e ser propulsionado pelo motor Pratt & Whitney Pure Power, o mesmo que equipa as quatro unidades do E190-E2 existentes até o momento, porém com um adicional de potência para o maior peso de decolagem do E195-E2.

A Embraer mantém a previsão de realizar o primeiro voo do E195-E2 no primeiro semestre de 2017, com as entregas iniciando em 2019.

COMPARTILHAR