Com contrato assinado recentemente para fornecer mais 6 aviões A-29 Super Tucano para a Força Aérea do Afeganistão, no valor de US$ 174,5 milhões incluindo também fornecimento de peças para manutenção e outros custos adicionais, o avião de caça leve pode estar fazendo sucesso na Força Aérea dos EUA.

Isso tudo começou com a inclusão da aeronave no programa OA-X, da Força Aérea Americana. Esse programa foi aberto para escolher um concorrente capaz de substituir o A-10 no treinamento avançado de pilotos da USAF.

Depois de inserir o A-29 nessa escolha, e também iniciar os testes em voo com essa aeronave, a USAF ainda assinou outros 2 contratos para colocar esse avião dois países, o Nigéria e o Afeganistão, esse último já operava com o A-29, dessa forma o contrato foi só para adicionar mais aeronaves na Força Aérea do país.

O A-29 também está em operação no Líbano. Todos esses países usam o A-29 sob concessão dos Estados Unidos, a maioria para fazer ataques terrestre contra grupos terroristas. De acordo com a USAF, é uma aeronave econômica e de bom desempenho no cenário aéreo tático.

Mas de acordo com um anúncio de resultados do terceiro trimestre da Embraer, os executivos afirmaram que o A-29 teve todos os critérios satisfeitos nos testes recentes da Força Aérea Americana. O primeiro bloco de testes, conhecido como “Camada 1”, foi realizado na Base Aérea Holloman, localizada no Novo México, e assimilou a capacidade do caça de se manter em ambientes permissivos e semi-permissivos, além de fornecer apoio aérea tático e para o treinamento avançado dos pilotos.

O A-29 Super Tucano que participa do programa é fabricado em Jacksonville, na Flórida. A Força Aérea já tinha certificado o Super Tucano para forças aéreas estrangeiras como a Afegã e a Libanesa. Mas para esse programa os pilotos precisam ser da USAF, pois caso ganhe a competição o A-29 voará nos EUA.

O baixo custo é outra característica do A-29 em dados comparativos uma hora de voo do A-29 sai em torno de US$ 1 mil chegando até US$ 1,5 mil, o A-10 não sai menos de US$ 17 mil. Já o caça mais caro do mundo atualmente, o Lockheed Martin F-35 Lightning II, sai em média US$ 34 mil. Para o diretor da EDS (Embraer Defesa e Segurança), Jackson Schneider o A-29 Super Tucano se encaixa nas exigências da USAF.

A fabricação nos Estados Unidos é um item obrigatório da seleção realizada pela USAF, além disso o Super Tucano se destaca pela experiência anterior da Força Aérea Americana com o avião, sua capacidade de se comunicar com aeronaves da OTAN e Japão, a proteção balística que protege o piloto e motorização de tiros de alto calibre, além da compatibilidade com mísseis já conhecidos da USAF, como o Mk-81, Mk-82, GBU-12 e bombas GBU-58.

O planejamento dos EUA é adquirir até 300 novos aviões no programa OA-X para a USAF.

 

Via – Info Defensa

COMPARTILHAR