A Embraer realizou recentemente testes de formação de gelo no E190 E2, durante esse procedimento a aeronave recebe um material especial que é capaz simular gelo nas áreas críticas da aeronave, como no bordo de ataque da asa e do estabilizador horizontal. Os testes foram realizados com o 3º E190 E da frota de testes.

Esse teste é importante para a certificação da aeronave pois comprova que as funções aerodinâmicas se mantenham mesmo após uma formação severa de gelo. Esse é um dos últimos procedimentos de certificação do E190 E2, e seus resultados poderão demonstrar a maturidade do processo e também demonstra que o projeto está adiantado, em relação ao seu cronograma inicial.



O gelo é formado por uma condição de ar frio (-30 ~ -50ºC), comum em altitudes elevadas que os jatos voam, além de acúmulo de umidade do ar em algumas situação, tais como nuvens de chuva ou tempestades, uma aeronave pode ter o bordo de ataque da asa rapidamente congelado se for submetida às condições descritas acima, como voar acima de 25 mil pés e perto de tempestades. 

O gelo formado em superfícies aerodinâmicas também altera o comportamento do fluxo do ar, para a Embraer é importante saber qual o nível de alteração no comportamento da aeronave, para prevenir uma situação insegura para os tripulantes e passageiros.